Geléia de maçã – Lygia Fagundes Telles

QUANDO SUBI NO NOTURNO, o chefe veio me avisar que minha companheira de cabine, uma senhora muito distinta, ficaria com o leito inferior, isso se eu não fizesse questão. Não fiz questão. Quando voltei do carro-restaurante, a velha senhora já estava recostada nos travesseiros, comendo biscoitos com geléia. Usava uma camisola de flanela com florinhas azuis, os olhos também azuis – só faltava a touca de rendinhas para compor a…

Coonlagh e a fada

Há muito tempo, quando Cahoun das Cem Batalhas era o Grande Rei de toda a Irlanda, chegou a época das festas de Beltaine, e na tarde que antecedeu o primeiro de Maio, Cahoun e seu filho Coonlagh foram ao monte Usnach acender as fogueiras e dar início às comemorações da chegada do verão.

A menina dos fósforos – Hans Christian Andersen

Estava tanto frio! A neve não parava de cair e a noite aproximava-se. Aquela era a última noite de Dezembro, véspera do dia de Ano Novo. Perdida no meio do frio intenso e da escuridão, uma pobre menina seguia pela rua fora, com a cabeça descoberta e os pés descalços. É certo que ao sair de casa trazia um par de chinelos, mas não duraram muito tempo, porque eram uns…

A sombra – Hans Christian Andersen

  Nos países quentes, o sol possui um outro ardor que o nosso não tem. As pessoas tornam-se acajus. Nas regiões mais quentes ainda, chegam a ser negras. Mas foi justamente para um desses países cálidos que um sábio de nossos países frios resolveu ir. Imaginava que poderia circular por ali como em nossa pátria; mas logo se desiludiu.

O rouxinol e o Imperador – Hans Christian Andersen

SOBRE O CONTO A inspiração para o conto “O rouxinol do imperador” surgiu de um fato real. Conta-se que um homem muito importante na Suécia estava muito doente e pediu como ultima vontade que a cantora Jenny Lind fosse cantar para ele. Ela era uma cantora sueca muito famosa na época e era conhecida como “O rouxinol”. Dizem que era tão belo o seu canto que o homem depois de…