Alberto Moravia

Alberto Moravia

Alberto Pincherle (1907-1990), que ficou conhecido com o pseudônimo de Alberto Moravia, nasceu em Roma, Itália. De origem judaica, é um dos grandes escritores do século XX. Acreditava na necessidade de haver coerência entre a literatura e a militância política.

Na adolescência, foi obrigado a interromper os estudos para tratar da saúde. Moravia contraiu tuberculose óssea quando tinha nove anos e passou boa parte da infância e adolescência em sucessivos sanatórios. Talvez este isolamento, que compensou lendo vorazmente, explique o milagre da precocidade literária do escritor. Seu interesse pela literatura, assim, nasceu no período em que ficou hospitalizado.

 

 

Ainda muito jovem começou colaborando em jornais e, em 1929, publicou o seu primeiro romance (com recursos próprios), Gli Indifferenti (Os Indiferentes), uma análise impiedosa da decadência moral da burguesia italiana. Este romance de feição existencialista consagrou-o como escritor, e teve um forte impacto na literatura italiana da época. A ação do livro decorre em pouco mais de 48 horas e centra-se em cinco personagens e três casas. É como uma peça de teatro em que o espectador não só ouve os diálogos das personagens, mas, por via telepática, sabe também o que elas estão pensando.

Moravia tinha apenas 22 anos quando publicou este lúcido e sufocante retrato da natureza humana.

Em 1929, na Itália, foi também o ano de consolidação do governo fascista, com a assinatura de uma concordata entre Mussolini e o Vaticano. E era difícil não ler no livro de Moravia, com o seu retrato impiedoso da decadência da média burguesia romana, uma crítica à atitude demissionista com que a sua própria classe social vinha assistindo ao endurecimento do regime.

O escritor não teve, aliás, de esperar muito tempo para ver as suas obras proibidas pelo governo de Mussolini e colocadas no Index do Vaticano. A crueza com que Moravia retrata o sexo, que já neste seu primeiro livro surge como uma atividade inteiramente desligada de qualquer contexto sentimental, devia irritar particularmente a Igreja.

De família judaica e militante de esquerda, viveu nos Estados Unidos durante a II Guerra Mundial (1939-1945). Retornou à Itália após o conflito e retomou a militância, ao mesmo tempo que crescia seu prestígio no exterior com a adaptação de obras suas para o cinema. Seus temas principais são o desamor, a aridez da vida moderna e a corrupção da alta classe média. Sua obra-prima é O Desprezo (1954), romance em que conta a história de um intelectual abandonado pela jovem mulher. Em 1984 foi eleito pelo Partido Comunista deputado ao Parlamento Europeu. Morreu em Roma.
Romancista consagrado com títulos como Os Indiferentes, A Romana, As Ambições Frustradas, teve alguns de seus romances filmados por Bertolucci (O Conformista) e Godard (Le Mépris), entre outros. Moravia escreveu ainda centenas de contos, a maioria deles disponíveis em português: Contos Romanos, Novos Contos Romanos, A Casa de Praia das Sextas-feiras, A Coisa e outros contos e Contos Surrealistas e Satíricos.
Da sua obra fazem ainda parte Diciotto Liriche (1920), La Bella Vita (1935), Il Conformista (1951), Racconti Romani (1954) e outros títulos.

 


OBRAS

 GLI INDIFFERENTI, 1929 – Time of Indifference – film 1963, dir. Francesco Maselli
LE AMBIZIONI SBAGLIATE, 1935 – Wheel of Fortune / Mistaken Ambitions
LA BELLA VITA, 1935
L’IMBROGLIO, 1937
IL SOGNI DEL PIGRO, 1940
LA MASCHERATA, 1941 – The Fancy Dress Party
LA CETONIA, 1943
L’AMANTE INFELICIDE, 1943
LA SPERANZA OVVERO CHRISTIANISMO E COMMUNISMO, 1944
AGOSTINO, 1944 – Two Adolescents – Välinpitämättömät – film 1963, dir. Mauro Bolognini
L’EPIDEMIA, 1944
DUE CORTIGIANE E SERATA DI DON GIOVANNI, 1945
LA ROMANA, 1947 – The Woman of Rome – Roomatar – film 1954, dir. Luigi Zampa
LA DISUBBIDIENZA, 1948 – Disobedience
L’AMORE CONIUGALE, 1949 – film 1971, dir. Dacia Maraini
IL CONFORMISTA, 1951 – The Conformist – film 1970, dir. Bernardo Bertolucci, starring Jean-Louis Trintignant, Stefania Sandrelli, Gastone Moschin, Dominique Sanda, Enzo Taroscio. "The film succeeds in unmasking Marcello as a conformist not to some illusory social standard but rather to unconscious desires and structures. The genius of Bertoluci’s film is that it succeeds in reincorporating most of Moravia’s narrative elements into a new and more meaningful oneiric structure while at the same time subtly but surely addressing the issue of the relationship between original text and film." (T. Jeferson Kline in ‘The Unconformist’, from Modern European Filmmakers and the Art of Adaptation)
I RACCONTI, 1952
RACCONTI ROMANI, 1954 – Roman Tales
IL DISPREZZO, 1954 – A Ghost at Noon – Keskipäivän aave – film Le Mépris, dir. Jean-Luc Godard (1964), starring Brigitte Bardot, Michel Piccoli, Jack Palance, Fritz Lang, Giorgia Moll, Jean-Luc Godard
L’EPIDEMIA, RACCONTI SURREALISTI E SATIRICI, 1956
Bitter Honeymoon and Other Stories, 1956
LA CIOCARA, 1957 – Two Women – Kaksi naista – film 1960, adapted for the screen by Vittorio de Sica, starring Sophia Loren, Jean-Paul Belmondo, Eleonora Brown, screenplay by Cesdare Zavattini and De Sica . "The tragic history of these two women is not given time and space to work itself out, so that at the end, they lose their individuality and rich, willful humanity, and become puppets dancing to a production stopwatch." (Robert Hatch in The Nation, June 3, 1961)
TEATRO, 1958
UN MESE IN URSS, 1958
NUOVI RACCONTI ROMANI, 1959 – More Roman Tales
The Wayward Wife and Other Stories, 1960
LA NOIA, 1960 – The Empty Canvas – Tyhjä kangas – film 1964, dir. Damiano Damiani; film L’Ennui, 1998, dir. by Cedric Kahn, starring Charles Berling, Sophie Guillermin, Arielle Dombasle
L’AUTOMA, 1962 – Automaatti
CLAUDIA CARDINALE, 1962
UN’IDEA DELL’INDIA, 1962
L’UOMO COME FINE, 1963 – Man as an End
L’ATTENZIONE, 1965 – The Lie – Valhe
CORTIGIANA STANCA, 1965
LE LUZI DI ROMA, 1965
IL MONDO È QUELLO CHE È, 1966
L’INTERVISTA, 1966
UNA COSA È UNA COSA, 1967 – Command and I Will Obey You
IL DIO KURT, 1968
LA RIVOLUZIONE CULTURALE IN CINA, 1968 – The Red Book and the Great Wall – Maon Kiina eli kivinen kutsuvieras
RACCONTI DI ALBERTO MORAVIA, 1968
LA VITA È GIOCO, 1969
IL PARADISO, 1970 – Bought and Sold / Paradise and Other Stories
IO E LUI, 1971 – Two: A Phallic Novel / The Two of Us – Minä ja hän
A QUALE TRIBÙ APPARTIENI, 1972 – Which Tribe Do You Belong To?
L’AMORE CONIUGALE, 1972
UN’ALTRA VITA, 1973 – Lady Godiva and Other Stories / Mother Love
CORTIGIANA STANCA, 1974
AL CINEMA, 1975
BOH, 1976 – The Voice of the Sex and Other Stories
LA VITA INTERIORE, 1978 – Time of Desecration – Desideria
UN MILIARDO DI ANNI FA, 1979
COSMA E I BRIGANTI, 1980
IMPEGNO CONTROVOGLIA, 1980
LETTERE DAL SAHARA, 1981
STORIE DELLA PREISTORIA, 1982
LA COSA E ALTRI RACCONTI, 1983 – Eroottisia tarinoita
1934, 1982 – Vuosi 1934
L’UOMO CHE GUARDA, 1985 – The Voyer – Sivustakatsoja
L’ANGELO DELL’INFORMAZIONE A ALTRI TESTI TEATRALI, 1986
L’INVERNO NUCLEARE, 1986
PASSEGIATE AFRICANE, 1987
IL VIAGGIO A ROMA, 1988 – Journey to Rome – Matka Roomaan
LA VILLA DEL VENERDI E ALTRI RACCONTI, 1990 – Perjantain huvila ja muita kertomuksia
VITA DI MORAVIA, 1990 – Life of Moravia (with Alain Elkann, trans. by William Weaver) – Moravian elämä
DONNA LEOPARDO, 1993 (unfinished novel)
VIAGGI. ARTICOLI, 1930-1990, 1994 (ed. Enzo Siciliano)


FONTES

Bibliografia

ELKANN, Alain. Vida de Moravia. São Paulo: Rocco, 1992.

Links

Releituras (em português)
Books and Writers (em inglês)
El Poder de La Palabra
(em espanhol)
Italia Libri
(em italiano)