Arte Tumular

Recentemente na seção Arte Cemiterial da Página da Beatrix resolvi abrir um espaço para falar e divulgar informações sobre alguns cemitérios antigos, tanto do Brasil como do mundo, e que tem em comum o fato de possuir um acervo riquíssimo tanto em arte quanto em história. Na verdade já havia no site um texto dedicado ao famoso Cemitério Père Lachaise de Paris, em que constam também algumas fotos e comentários sobre seus ilustres “moradores”.

Nunca visitei o Père Lachaise, e talvez nunca o faça, mas não é segredo que a internet hoje em dia nos permite fazer “viagens” inimagináveis. Assim, foi possível conhecer um pouco da história e das lendas que cercam um dos mais falados cemitérios do mundo.
Entretanto, foi com prazer muito maior que escrevi sobre o Cemitério da Consolação, de São Paulo. Lugar que pude de fato conhecer e visitar durante o tempo em que morei nesta cidade.

Mas a minha paixão por arte cemiterial ou tumular, como a maioria prefere, não surgiu contemplando os mármores de Brecheret presentes no cemitério paulista, nem as fotos e histórias do Père Lachaise. Surgiu talvez em Fortaleza minha cidade natal, quando acompanhei o sepultamento de meu avô, em um lugar tranquilo, e numa época em que a infância ainda está livre de certos medos e preconceitos. Ou talvez tenha surgido mesmo em São Luís, onde durante um período trabalhei em uma escola que praticamente dividia os muros com o Cemitério do Gavião. Que entre outras curiosidades trás o fato de em sua entrada haver um dístico quase tão macabro quanto aquele que Dante leu nos portões do inferno. No Gavião embaixo de uma caveira com tíbias cruzadas está escrito: “Nós, ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos”. Esta frase segundo me informei, é de autoria de Willian Shakespeare.

Enfim, não lembro ao certo quando comecei a me interessar por arte tumular, mas uma coisa é certa, se o cemitério da Consolação não não foi o responsável pelo seu início, pode ser sem dúvida culpabilizado pelo seu desenvolvimento. O visitei logo na primeira semana quando cheguei a cidade e jamais esqueci a impressão que me deixou. Na segunda visita tratei de levar uma máquina fotográfica para registrar essa impressão de forma mais fiel.

Entretanto uma curiosidade, nunca consegui encontrar novamente as esculturas que me encantaram da primeira vez, como por exemplo um anjo em tamanho natural de traços masculinos que com sua espada em punho parecia que a qualquer momento iria levantar dali e expulsar os grupos de visitantes que teimavam em perturbar a paz local.

Também não me esqueço do esforço que fiz para fotografar umas das obras que mais me tocou em minhas visitas ao Consolação: “Lenda Grega: Orfeu e Eurídice”.

Eu fiquei muito tempo dando voltas esperando que o visitante que havia ido lá para deixar flores, fosse embora. E ele ficou horas…E claro era um direito dele…eu é que era a invasora.

Era um senhor de meia idade, bem vestido que se ajoelhou e chorou por um tempo. Quando voltei depois de um tempo ele ainda estava lá, mas procurei desviar, seria muito constrangedor flagrá-lo com lágrimas no rosto.

O conjunto escultural que estava no túmulo, e que tanto me impressionou, tanto pela sua beleza quanto pela expressão dos sentimentos do visitante, é de autoria do artista Nicolla Rollo, e representa a tragédia do casal Orfeu e Eurídice.

Orfeu era o músico lendário filho da musa Calíope que enternecia até as feras com a sua música, um cantor maravilhoso e que tocava divinamente a lira e a cítara, instrumento este cuja invenção lhe é atribuída. Ao ouví-lo cantar as feras o seguiam, as árvores se inclinavam em sua direção e até os homens mais irascíveis se acalmavam.

Orfeu participou da famosa expedição dos Argonautas. Durante a viagem, apaziguava as ondas com sua música e, com ela, conseguiu até anular o efeito do hipnótico canto das sereias e salvar o navio.

A cena esculpida por Nicolla Rollo mostra Orfeu tangendo a sua lira, com a qual encantava os animais e as plantas, tentando trazer à vida a esposa, tudo isso em vão…

…Um tempo depois quando voltei o visitante havia ido embora e pude tirar quantas fotos eu quis…Mesmo assim, minhas sinceras desculpas ao visitante, da parte dessa importunadora amante da arte…

Orfeu e Eurídice

8 comments

  1. Ola! Informo-lhe que estão abertas as inscrições para o II Encontro Nascional sobre Cemitérios Brasileiros promovido pela ABC ( Asociação Brasileira de estudos Cemiteriais ) e PUCRS. Informações http://WWW.ASTRATUR.COM.BR
    inscrições para ouvinte e comunicações, e troca de informações sobre o tema com participação de pesquizadores do Brasil e Exterior bem como representantes das asociações estrangeiras( EUA e Argentina)Um abraço deste seu amigo Airton Gandon( farei parte da equipe organizadora do evento porem não da equipe cientifica) a Maria Elizia Borges faz parte do evento ja que tirou o seu Doutorado na PUCRS.

  2. A frase de Shakespeare é realmente arrepiante e essa escultura tem um misto de beleza e tristeza que atrai de um jeito estranho… lindo.

  3. Olá,Beatrix Algrave.

    Sou estudante de jornalismo da PUC-Rio e estou produzindo uma matéria para a disciplina Edição em Jornal, Tv e rádio sobre a cultura gótica. Elaborando uma breve pesquisa sobre o assunto na internet encontrei seu site. Gostaria de conversar com você para uma entrevista que deverá ser publicada na Revista Eclética ( organizada e produzida pelos alunos de Comunicação Social da universidade).
    Há algum e-mail ou telefone que poderíamos nos falar?
    Meu e-mail é: janainassilva@universiabrasil.net
    Obrigada.
    Janaína Santos.

  4. Beatriz,

    Estou pesquisando sobre design e tipografia tumular, acabei parando aki no seu blog, será que você poderia me ajudar?
    Qualquer coisa, artigo, livro, site, contato, etc, sobre (principalmente) "tipografia" tumular.

    Obrigado!

  5. voc~e é mesmo uma mulher excepcional
    inteligente e bem humorada diante das artes e da literatura en geral vc é ujma apreciadora nata do que realmente é bom no mundo admiro pessoas como vc talentosas e inteligentissimas como so a clarice lispector soube ser !!!!!

  6. Olá! Sou professora e estudante de artes visuais e como proposta de ensino no estágio escolhi arte tumular, foi assim que encontrei vc. Confesso que já havia atração por estilo antes mesmo de ler os seus textos, mas também não posso negar que ela aumentou. Vc respondeu muitas dúvidas que tinha a respeito desse lugar temidos por muitos.

  7. oi sou estudante curso de história meu tcc é sobr este tema e quria muito sua ajuda pois nao tenho livros pra complimentar meu tema e quero muito fazer este trabalho
    se for possivél me mada ajuda vou dixa meu email damillismilk@hotmail.com t+

Comentários estão fechados.