Batracomiomáquia – Homero

Ao  iniciar,  rogo  ao  coro  de Helicon  que  assista  a minha  alma  para  entoar  o canto  que  recém  registrei  nas  tábuas  sobre meu  joelho  –  uma  luta  imensa,  obra marcial   plena  de  bélico  tumulto  -,  desejando  que  chegue  aos  ouvidos  de  todos  os  mortais como os  ratos se distinguiram ao atacar as  rãs,  imitando as proezas  dos gigantes  filhos da terra. Tal como entre os homens se conta, seu princípio aconteceu da seguinte maneira:


Sedento,  depois  de  se  livrar  de  uma  doninha,  um  rato  submergia  sua  ávida barba ali perto, num lago, e se  reconciliava na água doce como mel, quando viu uma rã tagarela, que no lago tinha suas delícias, e que assim lhe falou:
Inchabochechas: – Quem és tu, forasteiro? De onde chegastes nestas ribeiras?
Quem te engendrou? Dize-me tudo honestamente, e que não perceba eu que mentes. Se te  considerar digno de ser meu amigo, levar-te-ei a minha casa e te darei muitos e  bons  presentes  de  hospitalidade.  Eu  sou  lnchabochechas  e,  no  lago  me honram como  perpétuo guerreiro das rãs; meu pai Lodoso me criou e deu-me à luz Rainha-das-Águas,  que  com  ele  se  juntara  amorosamente  às margens  do  Erídano.  Observo que também