Gótico e Pintura

 

Madonna de Giotto No campo da pintura a influência da arte medieval especialmente do estilo românico e gótico (ao contrário do que foi dito em relação à arquitetura) praticamente não se faz sentir. A presença da figura humana extremamente estilizada, o plano bidimensional que caracteriza o estilo, tem muito pouco a ver com os elementos iconográficos reverenciados atualmente pelos darks ou góticos. A exceção, talvez, fique por conta das obras de Giotto, sendo este pintor um dos precursores do rompimento com a tradição bizantina, ao dar um tratamento tridimensional às suas obras.

 

 

"Beleza é terror. O que chamamos de belo nos faz tremer. A beleza é aspera e se parece com um extermínio. Ainda assim, é tudo que se quer" Donna Tartt(A história Secreta)

"O horrível é belo, o belo é horrivel" Shakespeare(Macbeth)

Quanto aos elementos simbólicos da arte medieval, de imaginário fortemente místico, este sim traria alguma influência, principalmente no que se refere ao rico bestiário medieval, ilustrado, em especial, nas iluminuras que costumavam ornar livros e manuscritos da época, e também presente nos elementos decorativos de palácios e igrejas. O triunfo da Morte de DürerO jardim das delícias de Bosch

A arte renascentista ao contrário traz uma grande contribuição, presente principalmente nas obras de Hieronymus Bosch, Pieter Bruegel e Dürer, artistas de apurada técnica e imaginação fértil. O flamengo Bosch demonstra isto muito bem, em sua obra "O jardim das delícias", no triplo painel onde representam-se o paraíso terrestre, o paraíso celestial e o inferno. Uma obra complexa povoada de pequenas figuras e criaturas imaginárias. Bosch seria na concepção de muitos estudiosos da arte, um "surrealista antecipado".

Igualmente há influência estética da Arte Barroca, que combinava movimentos energéticos, cores intensas e detalhes decorativos, com expressiva originalidade e liberdade. O imaginário barroco é extremamente poderoso, expresso em gestos, fundos sombreados e uso dramático da luz e sombra. As obras apresentam muitas vezes um caráter sombrio, pungente e dramático.

 

 

 

 

Baco de Caravaggio

Destaca-se neste estilo artistas como Caravaggio que em suas obras (principalmente as iniciais) celebrou personagens mundanas e sexualmente ambíguas, além de representar figuras religiosas como simples mortais. Um verdadeiro escâdalo para a época.

A rendeira de Vermeer

Outro destaque vai para Jan Vermeer, que possuia uma refinada técnica em trabalhar efeitos de luz e figuras geométricas em seus quadros, como o célebre "A rendeira", que tanto excitou a imaginação tresloucada de Dali.

Não se pode ainda esquecer um mestre como Rembrandt, que sabia como nenhum outro combinar dramáticos efeitos de luz com sutis efeitos ilusórios, num quase abstracionismo.

 

Apesar de todos estes estilos e artistas da pintura terem influenciado na estética dos darks ou góticos, nenhuma desses escolas se compara em importância ao expressionismo, surrealismo e modernismo,todas as artes contestadoras e revolucionárias.

 

 

 

Comecemos pelo Expressionismo, a arte do instinto, com sua pintura dramática e subjetiva. É um estilo explosivo, errático, que se fez presente também na literatura, no teatro, na dança e no cinema (para saber mais sobre o expressionismo clique aqui). Noite estrelada de Van Gogh

Edvard Munch e Van Gogh podem ser considerados artístas ícones do expresssionismo.

Van Gogh é um artista fundamental do gênero, sua obra apresenta uma explosão de cores intensas e puras, e a presença de formas sinuosas que expressam a energia e a dramaticidade de uma alma atormentada.

O grito de Munch

 

O norueguês Edvard Munch, considerado um dos pintores mais radicais e talentosos de sua geração, demonstrou em obras como "O Grito", um trabalho inquietante, onde a representação pictórica sucumbe às fortes emoções, à tensão e à ansiedade do desepero. Nesta obra em particular, é como se todo o cenário em volta do personagem participasse da excitação aterradora do grito, expressando toda a angústia envolvida na cena.

Mulher má de Goya

 

Outra influência importante é Goya, com sua obra rica de representações misógenas e diabólicas, onde aparecem velhas decrépitas e ameaçadoras, além de feiticeiras que veneram o grande Bode e preparam pratos abomináveis.

Quanto ao surrealismo, que acima de tudo foi um movimento revolucionário, temos igualmente manifestações não só na pintura, mas também na literatura e no cinema.

O surrealismo é uma forma de expressão, instintiva, irracional, cuja arma principal era o escândalo. "Seu objetivo principal não era criar um novo movimento pictórico, literário ou até filosófico, mas sim fazer explodir a sociedade, mudar a vida" (Buñuel).

Entre os artistas que mais se destacaram neste movimento na pintura estão Picasso e Dali.

Picasso e Dali guardam uma certa semelhança pela fixação que possuiam em relação à mulher (Picasso-Dora Marr, Dali-Gala).

Guernica de Picasso

Picasso soube expressar como ninguém o delírio e a monstruosidade da guerra. Em sua obra mais conhecida, "Guernica", aparecem rostos hediondos, torturados e abjectos, que são na verdade os próprios rostos da guerra e da desgraça provocada pelos nazistas, e eram eles mesmos que atribuíam a obra do próprio Picasso e de outros artistas surrealistas o título de "artistas degenerados".

Dali foi um dos artistas mais delirantes de seu tempo, possuindo uma imaginação fértil, obsessiva e irracional. Criador do método paranóico-crítico, de um estilo de vida exibicionista. Nem sua fase "Avida Dollars" foi capaz de ofuscar sua obra.

Poderia ainda citar outras obras, artistas e gêneros, mas prefiro deixá-los com esta pequena amostra da influência da pintura na estética dark. Dessa forma, termino aqui minha listinha, ficando os acréscimos por conta de cada um.

Estou, portanto, aberta à sugestões.

Um comentário

Comentários estão fechados.