Lavinia Fontana nasceu no dia 24 de agosto, em Bologna, Itália. Filha do pintor Prospero Fontana, que era diretor da Escola de Bologna e que foi também seu professor. Os filhos seguirem a carreira dos pais era algo típico naquela época, entretanto o mesmo não era comum para uma mulher. Lavínia é considerada a primeira mulher na Europa Ocidental a desenvolver uma carreira profissional como artista, trabalhando do mesmo modo que os artistas homens, fora de uma corte ou de um convento.

 

 

 

Lavínia FontanaNão deixa de ser surpreendente a fama e o reconhecimento que Lavinia alçou como artista na renascença, visto que na época não se considerava que as mulheres pudessem ter uma uma visão artística verdadeira por pensarem que elas não eram dotadas de inteligência, de caráter, e de força. Assim muitas foram empedidas de entrar nas academies de arte e dissuadidasde de dedicarem-se à pintura ou à escultura. As mulheres eram assim obrigadas à dedicar-se apenas as tarefas consideradas femininas, como cozinhar, limpar e cuidar das crianças. Outras ocupações além destas, eram tidas como escandalosas aos olhos da sociedade. Entretanto, algumas mulheres aprenderam a pintar quebrando esse tabu (a maioria de seus pais ou tutores confidenciais) e usaram eventualmente seus talentos para seguir uma carreira. Mas, as mulheres como artistas foram confinadas à pintura de retratos, que era considerada naquele tempo um nível inferior de expressão artística na pintura.

Ainda assim, durante a renascença e o barroco, o universo da arte abriu-se a presença de algumas poucas mulheres cujo talento era demasiado evidente a ponto de ser ignorado, Lavinia Fontana foi uma dessas mulheres.

Um dos primeiros trabalhos conhecidos de Lavinia Fontana é "Child of the Monkey", pintado em 1575, quando Lavinia tinha 23 anos. Infelizmente essa obra foi perdida. Uma outra pintura do período é "Christ with the Symbols of the Passion", de 1576, que se encontra agora no museu de Arte El Paso. Fontana dedicou-se a uma variedade de gêneros, desenvolveu várias obras de nus masculinos e femininos, o que era extremamente raro para mulheres na época, além de pinturas de temática sacra e mitológica, entretanto o destaque em sua obra cabe aos retratos.

 

Tornou-se retratista célebre, e em 1577, com 25 anos, casou-se com o pintor Giovanni Paolo Zappi, que era de origem nobre. Paolo e Lavinia tiveram onze filhos, sendo que destes, apenas três sobreviveram. Mesmo depois de casada, Lavinia continuou seu trabalho como pintora. O conde Zappi atuava como seu assistente e também ajudava a cuidar da casa e das crianças.

À partir de 1580, Lavinia Fontana tornou-se a retratista favorita entre os nobres de Bologna, um dos maiores centros artísticos da Itália. Nesse período, o retrato da família Gozzadini está entre as suas obras mais conceituadas. Seu apreço pelo detalhe e suas figuras alongadas garantiram-lhe sucesso e inúmeras encomendas de retratos, mas não apenas isso. Em 1589 Fontana recebeu uma importante encomenda de pinturas sacras para o retábulo do altar da igreja do Palácio Real espanhol. Como esse tipo de trabalho incluia estudos de modelos nus, era muito raro que mulheres fossem contratadas para fazê-lo. A obra feita por Lavinia e intitulada "Família Sagrada" fez tanto sucesso que logo a seguir a pintora foi convidada a trabalhar também na igreja de Santa Sabina em Roma. Isso fez com que Lavinia deixasse de ser exclusivamente retratista e lhe garantiu um espaço ainda maior no mundo da pintura, algo até então não alcançado por nenhuma mulher da época.

Assim, sua fama chegou até Roma, onde Lavinia foi morar com a família à partir de 1603 à convite do Papa Clement VIII. Dessa forma a pintora tornou-se retratista na corte do papa, recebendo inúmeras honrarias, entre elas, um medalhão de bronze a bronze feito pelo escultor e arquiteto Felice Antonio Casoni. Entre os retratados por Lavinia esteve o papa Paulo V.
Muitas das obras pintadas por ela, e que eram regiamente pagos pela nobreza de Bologna e Roma, foram durante muito tempo, erroneamente atribuídos à Guido Cagnacci. Entre estes estão, "Vênus", "A Virgem levantando véu sobre o Cristo adormecido" e "A Rainha de Sabá visitando Salomão".

Graças a seu talento junto a corte papal, foi eleita para a Academia de Roma, uma honraria raríssima para uma mulher.

Retrato curioso é o que Lavinia fez da menina Antonieta Gonsalvus. Vestida à maneira suntuosa das cortes de então, está recoberta de pêlos; pelos recobrem sua face, o corpo todo, menos as mãos e lhe dão uma aparência selvagem. A menina, conhecida como Tongina, era filha de Petrus Gonsaulvus, natural do Tenerife e portador de doença de pele congênita, a hypertrichosis universalis. Foi o primeiro caso registrado dessa doença e, no século XVI, o que causou espanto e muitos comentários.

 

No inicio de sua carreira, o estilo de Lavinia era muito próximo ao de seu pai, mas a medida que ia amadurecendo enquanto artista, passa a ser influênciada cada vez mais pelo estilo de tons fortes de Ludovicio Carraci, que tornou-se amigo da pintora. A obra de Lavinia também foi influenciada por Antonio Allegri Correggio e Scipione Pulzone.

 

Seu auto-retrato tocando espineta é considerado por muitos como a obra-prima de Fontana. Além do talento da artista, essa obra mostra também que Lavínia era uma bela mulher.

 
Há cerca de cem trabalhos documentados que são atribuídos à Fontana, entretanto destes somente 32 são assinados, datados e oficialmente reconhecidos como tal, fazendo dela a mais expressiva e respeitada mulher pintora do século XVI. Desses trabalhos trinta sobreviveram até os dias de hoje. A pintora italiana, Sofonisba Anguissola (1532-1625), primeira mulher pintora da renascenaça, pode ter sido uma importante influência em sua carreira. Além de Sofonisba e Lavínia Fontana, há outras mulheres que se destacaram na pintura durante a renascença italiana, entre elas estão Fede Galizia, Artemisia Gentileschi e Diana Scultori Ghisi, também conhecida como Diana Mantuana ou Diana Mantovana.

Lavínia Fontana faleceu em Roma, no dia onze de agosto de 1614.

Fontes

http://en.wikipedia.org/wiki/Lavinia_Fontana
http://www.lifeinitaly.com/art/women-artist-2.asp
http://www.nmwa.org/