Personagem – Cassandra, a voz de Iria

Antes de descobrir-se como alma favorecida da deusa Meshkenet e de Iria, Cassandra morava na cidade de Hollow Hills, de onde foi expulsa e quase linchada. Mas isso é claro foi depois que ela foi expulsa também de sua cidade natal, Silent Hedges.

Comecemos por contar o que aconteceu em Silent Hedges.

Cassandra vivia com seus pais e uma irmã mais velha, chamada Adriana, a quem seus pais pareciam dar muito mais atenção e carinho. Cassandra às vezes parecia mais uma serviçal da irmã que outra coisa. O primeiro sonho nefasto que Cassandra teve, logo aos treze anos foi a morte de sua irmã Adriana. Cassandra em sua inocência contou o fato aos pais, que acharam aquilo uma tolice sem sentido. Mas dentro de pouco mais de uma semana o sonho de Cassandra se realizou e sua irmã foi encontrada morta, afogada em um lago. Depois daquilo os pais da Cassandra começaram a acreditar que tinha sido um demônio que havia possuído o corpo da menina pra dar-lhe tal sonho, ou mesmo a desconfiar que havia sido Cassandra a autora da morte. O próprio pai de Cassandra expulsou-a de casa, e não encontrando acolhida em nenhum lugar da cidade ela resolveu deixar Silent Hedges antes que a população a acusasse de bruxaria ou assassinato e a condenassem à morrer na fogueira.

Sem família e sem amigos e com pouco mais que uma trouxa de roupas e nenhum dinheiro, Cassandra tomou a estrada para perambular pelo mundo. No caminho foi abordada por um grupo de bandidos mercenários e feita prisioneira. Depois de abusarem da moça venderam-na como escrava para um bordel na cidade de Hollow Hills, onde Cassandra foi obrigada a se prostituir.

Sendo tantas vezes abandonada e magoada, Cassandra foi se tornando cada vez mais cética e pessimista em relação às pessoas. Entretanto, o dom que a fez ser rejeitada e expulsa de casa pela família não a abandonara, pelo contrário, os sonhos de Cassandra foram se tornando cada vez mais freqüentes e terríveis, parecendo funcionar apenas para coisas funestas. Mesmo amargurada, Cassandra ainda tentava ajudar aqueles que eram objeto de seus sonhos.Uma vez contou a um dos clientes do bordel que seu pai seria assassinado. O rapaz zombou de Cassandra e fez pouco caso do que ela disse, mas quando o fato se concretizou, ele ficou furioso e retornou ao bordel disposto a espancá-la e matá-la e só não o fez porque o dono do bordel não permitiu, pois não deixaria que ninguém estragasse uma “mercadoria” sua.

Por causa desse e de outros acontecimentos similares, os homens que freqüentavam o bordel passaram a evitar Cassandra, e mesmo as outras moças que lá trabalhavam começaram a evitar a sua companhia. Todos a viam como portadora de alguma maldição, uma figura nefasta e soturna da qual era melhor não se aproximar. Já nesse tempo ela começou a ser conhecida como “A voz de Iria”. Desse modo Cassandra foi se tornando ainda mais solitária. Apesar de ser a princípio um alívio, a recusa dos clientes trouxe graves problemas à Cassandra, pois o dono do bordel ficou muito insatisfeito. Afinal, porque alimentá-la, vesti-la e abrigá-la se ela não trazia lucro?

Os poucos homens a quem Cassandra servia eram forasteiros, que uma vez desconhecendo a fama de Cassandra, eram cativados pela beleza da estranha moça.

Todos na cidade sem exceção conheciam a fama de Cassandra e mesmo desprezando-a não eram poucos os que começaram a procurá-la às escondidas, para que ela lhes lesse a sorte, coisa que Cassandra passou a fazer por dinheiro.

O problema é que as pessoas na maioria das vezes não querem ouvir a verdade, especialmente no que diz respeito ao futuro, e Cassandra passou a mentir para agradar as pessoas e começou a ganhar muito dinheiro com isso.

Assim, as coisas pareciam melhorar, e com o dinheiro que ganhava vendo a sorte, ela conseguiu até pagar o que devia ao dono do bordel. Este, percebeu que Cassandra tinha um talento muito melhor a ser explorado e já não a perturbava mais obrigando-a a se deitar com nenhum cliente. Ele começou a ganhar muito dinheiro e Cassandra também.

Entretanto, um sonho funesto mudaria de vez o destino de Cassandra. Ela previu sofrimento e morte através de uma peste terrível que viria do mar. Tentando ajudar as pessoas e evitar o pior, Cassandra resolveu revelar seu sonho e tentar de algum modo salvar a cidade. Mas como sempre, foi em vão. Ridicularizaram sua premonição e zombaram de Cassandra.

– Quem essa prostituta pensa que é? O sacerdote da cidade não disse nada sobre peste nenhuma, nem nossos maiores magos e adivinhos. Acaso ela se julga superior a eles? Acaso os deuses falariam com uma meretriz e não com homens santos? Todos eles vêem bons presságios para a cidade, apenas ela, essa mulher soturna e agourenta vê catástrofes por toda parte.

Mas em pouco tempo, a peste veio. Conforme Cassandra previra, ela veio do mar, através de um grupo de mercadores que chegaram de longe, vindo pelo mar, e que depois de uma longa viagem vieram trazer a peste à cidade de Hollow Hills.

Quando homens e animais começaram a cair como moscas,todo o ódio da população e a culpa pelo mal que assolava a cidade veio recair sobre Cassandra. Uma multidão enfurecida se juntou diante do bordel exigindo que Cassandra fosse entregue. O dono do bordel não teve escolha a não ser entregar a moça nas mãos de seus algozes. Assim, Cassandra foi arrastada pela multidão enfurecida, teve os cabelos cortados e as vestes rasgadas, teve mãos e pés atados, sendo levada para fora da cidade, onde seria apedrejada até a morte pelo povo de Hollow Hills.

Entretanto, algo aconteceu antes do apedrejamento. Enquanto homens e mulheres juntavam enormes pedras do chão para atirar na moça, um forte terremoto se fez sentir, e uma enorme fenda rasgou o chão tragando parte da multidão que desejava destruir Cassandra. Diante destes acontecimentos os habitantes de Hollow Hills fugiram abandonando sua presa.

Cassandra não sabia se lamentava ou agradecia o fato de ainda estar viva, quando viu se aproximar a figura de uma velha decrépita e corcunda que vinha em sua direção, apoiada em um cajado de madeira. A velha com um toque de seu cajado desamarrou Cassandra, curou parte de seus graves ferimentos e conduziu a moça até a caverna onde morava, onde tratou dela e a alimentou.

A velha mostrou a Cassandra o quanto seu dom era especial para desperdiçá-lo com pessoas tolas e sem escrúpulos. Aos poucos Cassandra foi descobrindo que tinha outras capacidades além de prever o futuro. Assim, durante o tempo em que viveu com a misteriosa anciã da caverna, Cassandra aprendeu a se conhecer melhor e aos dons que lhe foram concedidos pela deusa.

Um dia a velha simplesmente desapareceu, Cassandra a procurou por toda a planície de Hollow Hills e nem sinal dela, ela parecia ter evaporado tão misteriosamente como quando apareceu. Cassandra descobriu que tanto a cidade de Hollow Hills quanto Silent Hedges eram agora apenas ruínas e pó, totalmente devastadas pela peste.

Assim, Cassandra passou a vagar de cidade em cidade, aprendeu a fazer itens mágicos para poder sobreviver e às vezes quando procurada fazia o trabalho de vidente, mas eram poucos os que queriam ver o futuro pelos lábios da “Voz de Iria”.

Apesar de tudo o que passou, Cassandra acredita que seu dom existe por uma razão especial, desejando conhecer mais sobre isso ela acabou se dedicando a Meshkenet, deusa do destino e a Iria, aquela que favoreceu a sua alma com tais dons.

Cassandra às vezes se pergunta se a praga que assolou as cidades e as destruiu seria obra do destino realmente, ou se não seria fruto do seu ódio, por todos os males que sofreu nesses lugares e o desprezo que recebeu de seus habitantes. Será que Cassandra de fato prevê o futuro, ou os sonhos que tem provêm de seu desejo de vingança contra os que lhe causaram mal, e que por algum poder funesto se tornariam realidade?

Cassandra, A voz de Iria

3 comments

  1. Muito interessante 😀

    Eu gostaria de saber se essas imagens das personagens Arielle e Cassandra, você que fez? Se for, com qual programa?

Comentários estão fechados.