Satsuki era a caçula e a única filha mulher em uma família de cinco irmãos. E como tal estava destinada a ter uma vida pacata de esposa e mãe. Inclusive já havia um pretendente destinado a desposá-la. Entretanto, mesmo contra a vontade do pai, a jovem criou gosto pelas artes da esgrima e da luta, e tanto aborrecia seus irmãos que estes acabavam cedendo a vontade da jovem e ensinavam-lhe as artes marciais. Nesse momento a moça largava rapidamente o tear, a caligrafia ou os bordados que tanto a enfastiavam e pegava uma espada para lutar com os irmãos. Se no início tratava-se mais de uma brincadeira, depois a jovem foi ficando cada vez mais habilidosa, chegando a superar seus irmãos com sua técnica.
Infelizmente, a paz na família de Satsuki duraria pouco, pois sendo uma importante família de guerreiros, seu pai e depois seus irmãos, passaram a ser constantemente desafiados por aqueles que desejavam granjear fama e fortuna e tornar-se guardiões do feudo onde a família da moça morava. Os irmãos de Satsuki enfrentavam a todos esses usurpadores com honra e coragem.

Mas nem todos os desafiantes eram igualmente honrados. Assim, um dia um grupo de mercenários cujo pai do líder havia morrido ao perder uma luta contra o pai de Satsuki resolveu vingar-se de forma desonrosa. Preparou uma armadilha para os quatro irmãos de Satsuki.
Convidou-os para um duelo em meio a floresta, em que desafiaria supostamente um a um para vingar a morte de seu pai. Só que em vez disso preparou uma emboscada em que 50 homens atacaram covardemente os irmãos de Satsuki e os assassinaram, não antes é claro de muita resistência. Apesar do número covarde, os irmãos da jovem lutaram bravamente, mas infelizmente não puderam resistir e acabaram mortos.

O pai de Satsuki mesmo não sendo mais o jovem de outrora resolveu que vingaria a morte dos seus filhos mesmo que fosse a última coisa que fizesse em vida.

E desafiou o líder dos mercenários para um duelo na praça principal do vilarejo. Mostrou assim grande nobreza ao propôr ao jovem temerário uma disputa honrosa, bem diferente da que foi oferecida a seus filhos.
O desafio foi aceito, mas infelizmente o pai de Satsuki foi derrotado e morreu em combate, pois já não era mais o guerreiro de tempos atrás.

O jovem mercenário com a morte do pai de Satsuki proclamou que como não restara mais ninguém da família para desafiá-lo, tomaria as propriedade da família da moça, tornaria a mãe de Satsuki uma criada e tomaria a moça como sua concubina.

Diante disso a moça levantou-se e propós um desafio. Ela, Satsuki contra o líder dos mercenários. Se ela perdesse ele poderia matá-la e fazer o que quisesse com sua mãe e as propriedades. Mas se ele perdesse, ela lhe tiraria a vida e todos os seus mercenários deveriam deixar o feudo e nunca mais retornar.

Certo de sua vitória, o líder dos mercenários aceitou o desafio. Após uma luta renhida, Satsuki o derrotou, matando-o, garantindo a posse das propriedades, sua liberdade e a da mãe.
Os mercenários que tentaram quebrar o pacto foram massacrados pelos homens do vilarejo, fartos de tanta injustiça e desonra. Os que sobreviveram nunca mais quiseram ver o feudo nem Satsuki.
Depois de pouco tempo, a mãe de Satsuki morreu e a moça decidiu que não deveria permanecer no feudo. Deixou as propriedades aos cuidados das esposas viúvas de seus irmãos e partiu em busca de aventuras e conhecimento, tornando-se uma guerreira cada vez mais respeitada, procurando mestres no intuito de aprimorar sua técnica na esgrima e nas artes marciais. Além da excelência nas armas, Satsuki procura também combater as injustiça que encontra em seu caminho.

Nessas viagens acabou por encontrar Lúcio o andarilho, discipulo do mestre Fuelen. Tornou-se a princípio sua discipula, aprendendo com ele várias técnicas no manejo da espada. Depois tornou-se sua amiga. Até que as andanças novamente os separaram.
Agora quis o destino que seus caminhos mais uma vez venham a se cruzar na estranha cidade de Morrendo.