Review – X-Ray Spex – Germfree Adolescents

Por Eric Wanderson Nunes


X-RAY SPEX- GERMFREE ADOLESCENTS (1978)

Todos os agrupamentos femininos conhecidos como riot grllls (bandas de mulheres com vocais gritados e temática feminista que tiveram seu início e auge na década de 90,ex. Hole, l7, babes in toyland etc.) devem muitos sutiãs queimados a esse álbum e a esse lendário quinteto londrino liderado pela vocalista Poly Styrene.
Se juntaram em finais de 1976, um pouco antes da explosão do punk rock londrino engendrada pelo empresário, dono de butique e picareta máximo Malcolm Mclaren e colocada em prática em 77.
A banda, tendo uma mulher figuraça no vocal e a inusitada presença de um saxofonista, lançou apenas esse álbum em 1978 e se desfez pouco depois. Mas a carreira curta(76-79) não atrapalha que esse disco esteja em quase todas as listas de melhores de todos os tempos, devido à seu caráter absurdamente original e abrasivo.

Apertamos o play e logo ouvimos um som de guitarra distorcida mais pesado e mais lento do que a maioria das gravações punk daquele tempo(digo NENHUMA banda dessa época e desse estilo usa esse timbre de guitarra, que chega a lembrar Black Sabbath), sendo cortada por um exótico som de sax dando um ar bem diferente à coisa toda, preparando o terreno para a entrada da voz, que já entra totalmente alucinada nas primeiras estrofes, como se corresse numa pista cheia de fogo e minas terrestres. É a música The Day the world turned dayglo.
As faixas vão seguindo de forma totalmente fluida, mostrando vários clássicos (art-i-ficial;Oh bondage up yours;plastic bag; i am a clichê, identity) e notamos um monte de coisas: A gravação é alta e limpa pros padrões de época e estilo, as letras falam de forma inteligente contra o consumismo, a bateria é boa demais e vários riffs de guitarra tem aquela pegada de banda de hard rock setentona baseada em blues.

Mas a protagonista aqui é a vocalista Poly, uma das melhores vocais punk ,misturando classe, entrega, originalidade, energia, paixão, credibilidade, usando a voz quase como um instrumento a berrar sem nenhuma frescura; elevando tudo ao status de ARTE. “Minha vida é um saco plástico… que corresponde a todas as propagandas e suga todo esse lixo…” canta em Plastic Bag, havendo uma quebra no meio da música e ela recita como se tivesse uma epifania, o saxofone criando a paisagem sonora para que ela solte o próprio veredicto incontestável do Absoluto.
Grande disco, grande banda, grande Poly.

LISTA DE MÚSICAS DO DISCO GERMFREE ADOLESCENTS

1. Day the world turned day-glo
2. Obsessed with you
3. Genetic engineering
4. Identity
5. I live off you
6. Germ free adolescents
7. Art-i-ficial
8. Let’s submerge
9. Warrior in woolworths
10. I am a poseur
11. I can’t do anything
12. Highly inflammable
13. Age
14. Plastic bag
15. I am a cliché
16. Oh bondage, up yours