Sobre Clarice Lispector e as redes sociais

Sinceramente não entendo a vulgarização que fizeram da obra e da escritora Clarice Lispector. Alguns pseudo-intelectuais que nunca leram uma obra dela sequer, querem tratá-la como se fosse uma escritora de segunda categoria, que escreveu livros bobos de auto-ajuda. Quem acha isso é por que realmente não conhece nada a respeito de Clarice Lispector, e o que sabe a respeito dela é apenas o que dita a modinha das redes sociais em que uma frase atribuída mil vezes a um escritor se torna verdadeiramente dele, ainda que ele nunca a tenha dito ou escrito aquilo.

Pois bem, é exatamente isso que aconteceu com Clarice Lispector. As redes sociais lhe impingiram frases que ela nunca disse ou escreveu, e é difícil tirar essa informação errônea das pessoas. E alguns passaram a julgar a escritora pelo que ela nunca escreveu.

Lembro de uma escola onde eu trabalhei em que todo ano a professora de Português fazia um trabalho com os alunos, colando cartazes com frases de Clarice Lispector, frases que não eram dela mas que a professora achava que eram pois viu na internet. Ela enquanto professora de português propagava a ignorância. Daí como dizer aos alunos dela que aquilo estava incorreto?

Eu juro que aquilo doía em meus olhos, tanto quanto dói ver um pseudo-intelectual apedrejando Clarice Lispector pautado na ignorância das frases da internet e das redes sociais. “Clarice Lispector virou modinha, então vamos apedrejá-la” pois pseudo-intelectuais por praxe tem que odiar o que é “popular”. Mas será que Clarice Lispector ficou mesmo popular? Não, na verdade ela foi vulgarizada, e não popularizada. Tem uma diferença. O pior é que ela é julgada por coisas que nunca escreveu. Clarice Lispector não é autora de auto-ajuda, também não escreveu poesia como alguns acreditam.

Na verdade Clarice Lispector é uma excelente escritora, e os livros dela são maravilhosos e valem muito a pena serem lidos. Considero-a tão boa ou melhor do que Virginia Woolf. Clarice Lispector ousa mais e seus personagens vão além. Após as epifanias, os personagens de Virgínia voltam a mesma vidinha de sempre ou sequer ousam ao ponto de atingir epifanias; os de Clarice Lispector vão até as últimas consequências, e nunca mais são os mesmos.

Moser Benjamin chegou a compará-la a Kafka, apesar de que mesmo inspirando-se em Woolf, Kafka, Joyce e em Hesse, ela possui um estilo próprio e peculiar, nascido da sua vivência no Brasil e em especial no norte e nordeste.

Acho lamentável o que fizeram com a escritora, postando frases que ela nunca escreveu e ainda por cima vulgarizando a obra como se fosse algo ruim, uma espécie de manual de auto-ajuda. Clarice Lispector não é um “Lair Ribeiro de saias”.

A maioria das pessoas que publicam essas frases na internet não tem ideia do conteúdo da obra da escritora e nunca devem ter lido um livro sequer dela.

Eu amo a verdadeira obra de Clarice Lispector, e não vou deixar de gostar dela por que virou “modinha maldita” nas redes sociais e os tais pseudos passaram a pré-julgá-la. Danem-se os pseudos e danem-se as modinhas. Danem-se também as redes sociais de compartilhamento de desinformação.

6 comments

  1. Perfeito! E o pior é que isso não acontece apenas com a obra da Clarice Lispector. Muitos dos principais escritores brasileiros estão sendo vítimas desse mesmo processo. Há alguns meses li um poema atribuído ao Drummond. Bastaram algumas linhas para que eu percebesse que aquele poema jamais poderia ter sido escrito por ele. Um conhecimento mínimo a respeito desses autores e das suas obras já seria suficiente para as pessoas não saírem por aí perpetuando esses lamentáveis equívocos. É uma situação realmente triste, além de preocupante.

  2. Boa noite Beatrix,

    Desculpe, sei que esse não é o lugar correto para fazer o meu pedido, mas não sabia de outra forma de entrar em contato.
    Tentei baixar o Detonado de Vampire: The Masquerade – Bloodlines feito por você mas o link não funciona.
    Poderiam atualizar o link por favor ou informar outra forma de conseguir o tutorial.

    O link que tentei é esse: http://www.beatrix.pro.br/vampire-bloodlines/inde

    Obrigado.

  3. Concordo completamente. As redes sociais tiram a maestria das obras de alguns autores e as tornam simplesmente esdrúxulos para ignorantes mal' resolvidos.

  4. BRAVO! Adorei. Tamo junto, na V!be… 🙂

    Fique feliz e tranquila, Escudeira Clariceanda.
    (A)miga das Letras!… e Artesã das palavras!…

    P.S.: Claricear, Clariceando… Lets bora…

  5. Ola ! Serei breve e darei maiores explicaçoes caso consiga entrar em contato contigo, afinal, nao quero deixar esta msg grande.
    Nao achei nada de "fale conosco" ou "contato" no teu site, por isso, se possivel, gostaria de falar contigo sobre umas coisas sobre o Vampiro – a mascara.
    Nao é sobre o jogo em si(ja zerei, adoro ele). Mas tem a ver com a lenda, com o livro q escrevo etc.
    Se der pra nos falarmos, ou ate fazer amizade por conta do assunto, me da um alo: sopranaforever@gmail.com

    Agradeço e desculpe pelo metodo de contato.

  6. Gostei muito dos posts mas percebi que fazem quase dois anos que a Beatrix não posta nada, alguém tem alguma informação?

Comentários estão fechados.