33 - Electrasy - entrevista

Geralmente entrevisto bandas novas ou desconhecidas e com uma história de muito pouco sucesso. Mas o Electrasy é diferente. Em 1998, eles chegaram à 19ª posição da parada britânica, com "Morning Afterglow", do disco Beautiful Insane. Nove anos depois, lançam o terceiro disco, o brilhante Wired for Dreaming, pela Pink Hedgehog, que me deixou curioso e me fez pedir uma entrevista, prontamente atendida pelo guitarrista e um dos fundadores, Steve Atkins, que tem um original conhecimento da "música sem indústria". Sendo assim...


Steve Atkins é o que está à frente de  agasalhoPergunta: - Olá, Steve. Como nasceu o Electrasy?
Steve Atkins:
- Ali, o cantor e eu começamos a tocar juntos em bandas na escola. No nosso primeiro show, acidentalmente chutei alguém que estava com o braço quebrado e que acabou me atacando com suas muletas.

A primeira formação do Electrasy aconteceu anos depois através de um anúncio em um folheto grátis. O anúncio dizia: "precisa-se de um baixista e bateristas originais e com mentes abertas. A única pessoa que retornou foi Nigel. Conversamos em um lindo domingo ensolarado na escadaria da casa dos meu pais. Me lembro que essa escadaria tinha uma maravilhosa ressonância natural para o meu violão.

Pergunta: - Você se considera um compositor pop ou acha que esse é um termo muito limitante?
Steve Atkins:
- Sim. E não. E não.

capa do disco Wired For DreamingPergunta: - Wired For Dreaming é um grande disco. Conte um pouco das gravações...
Steve Atkins:
- Nossa antiga companhia, a Arista, estava fazedo grandes alterações e quem havia nos contratado (Clive Davis) acabou sendo demitido. Assim, durante todo esse processo, nós não podíamos fazer nada, que não fosse esperar. Finalmente, quando nos chamaram para gravarmos um terceiro disco, quando o segundo ainda estava sendo conhecido. A gravadora nos deu então liberdade total para gravarmos Wired for Dreaming, no que acredito nos levou a fazermos um disco bem honesto.

Pergunta: - Suas letras refletem sua personalidade?
Steve Atkins:
- Geralmente, nossas letras falam de drogas e cultura espacial. Pessoalmente, sou muito "pé no chão". Eu também costumo sonhar demais, então acho que é muito fácil me ver refletido nas canções. A música parece refletir os altos e baixos da minha vida e as letras muitas vezes não importam, pois, por exemplo, se ouço uma música em uma língua estrangeira e que não entendo, consigo facilmente me emocionar com o som.

Pergunta: - Me fale desse conceito "música sem indústria", sim?
Steve Atkins:
- Bem, quando eu era um jovem sonhador, sonhava em ter um acordo com um grande gravadora pensando que tudo seria perfeito. Anos depois, em 1998, começamos a ter mais opções de um caminho mais independente. Infelizmente, a internet ainda estava nos seus passos iniciais e as poucas que usavam tinha conexões de, no máximo, 56k.

capa do disco Beautiful InsaneAssinamos nosso primeiro contrato com uma major, a MCA/Universal e lançamos nosso primeiro disco, Beautiful Insane.

As gravações foram bem onerosas e não foi muito importante para o grupo, apesar de "Morning Afterglow", ter chegado ao 19º lugar na parada britânica.

Depois disso, a companhia começou a segurar dinheiro e fomos demitidos durante a fusão deles com a Polygram. Endividados, assinamos com a Arista para gravarmos dois discos. Mas eles fizeram cortes no departamento de rock e acabamos demitidos, bem como os demais artistas. Durante essa montanha-russa eu queria redesenhar nosso site e surgiram essas três palavras que explicavam minha frustração e qual a direção futura que seguiríamos: "Música sem a Indústria". Estou tendo boas e animadores respostas com esse conceito e ansioso para ver como isso se desenvolverá.

Pergunta: - Você se sente ligado a alguma cena musical?
Steve Atkins:
- A cena musical e o movimento musical pela internet mantêm meu gosto pela música vivo e com a ajuda do myspace, youtube, facebook, etc, o Electrasy acaba encontrando velhos e novos fãs. Nos situamos geralmente em algum lugar entre o indie, rock e o pop.

Pergunta: - O que você conhece de música brasileira, fora bossa-nova?
Steve Atkins:
- Ouvi Mutantes recentemente e adore o vibe deles!

Pergunta: - Quais são seus cinco artistas e cinco discos favoritos?
Steve Atkins:
- Qualquer disco dos seguintes artistas: Beatles, Pink Floyd, Radiohead, Pearl Jam e Abbie Lathe.

Pergunta: - Como você o rock hoje em dia?
Steve Atkins:
- A internet deu oportunidade às bandas de eliminarem os intermediários e o fãs têm a oportunidade entrar em contato com os músicos de mais maneira mais direta. Muitas rádios e emissoras de televisão ainda trabalham sob ordens de coorporações e se a música independente se a música independente quiser dar um passo adiante, todos nós deveríamos parar de comprar músicas de empresas ligadas às corporações, como o iTunes.

Pergunta: - Deixe uma mensagem aos fãs...
Steve Atkins:
- Nó te amamos e onde quer que você esteja, por favor, apoie as bandas locais. Vote, MÚSICA SEM INDÚSTRIA!

Discografia

Singles

"Lost in Space" (1998)
"Morning Afterglow" (1998)
"Best Friend's Girl" (1998)

Discos

Beautiful Insane (1998)
In Here We Fall (2000)
Wired for Dreaming (2007)