08 - Richard Thompson - Capítulo 1

Por Carlos Nishimiya

Ele é certamente um dos artistas que merecia muito mais fama e importância, não apenas pelo seus anos com o Fairport Convention, mas por sua longa e sólida carreira-solo. Excepcional guitarrista e compositor, Richard Thompson terá sua vida analisada por um grande fã e apaixonado de sua obra, Carlos Nishimiya, guitarrista e produtor do Surfadelica, Kid Vinil Xperience e de vasta folha corrida no rock brasileiro. Por isso, aproveite e, se possível, ouvindo os discos de Richard.


RICHARD THOMPSON, HERÓI ESQUECIDO DO FOLK ROCK BRITANICO

Richard Thompson começou sua carreira em um dos mais importantes grupos britânicos de todos os tempos, o Fairport Convention. Ele esteve no grupo desde sua fundação em 1966 junto com seus amigos Ashley Hutchings (baixo) e Simon Nicol (guitarra base).

Os três e mais Shaun Frater começaram ensaiando em uma casa chamada de "Fairport" que ficava no condado de Muswell Hill no norte de Londres. Em 1967 já tiveram sua primeira mudança na formação, saindo Frater para a entrada de Martin Lamble.

Logo se juntaram a eles os vocalistas Iain Matthews (na época usando o nome de Ian McDonald) e Judy Dyble, fazendo uma dupla vocal que lembrava a formação do Jefferson Airplane.

Com esses membros, lançaram o primeiro álbum, Fairport Convention, em 1968, composto, em boa parte, de covers de canções americanas, que era o forte do repertório do grupo até então.

O disco tinha músicas de Dylan, Joni Mitchell e originais do grupo. Algumas das músicas mais notáveis desse trabalho eram “If (Stomp)” e “It’s Alright Ma, It’s Only Witchcraft” que foram co-compostas por Richard Thompson, os primeiros sinais do grande compositor que ele viria a se tornar.

(capa dos dois primeiros álbuns do Fairport Convention)

O segundo álbum, What We Did On Our Holidays não tardou, sendo lançado em janeiro de 1969.

Este disco já tinha a presença de Sandy Denny no lugar de Judy Dyble (que iria para o projeto Giles, Giles & Fripp, o embrião do King Crimson).

Sandy se tornou o foco do grupo, com seu passado de cantora folk se apresentando em vários clubes especializados e já tendo álbuns gravados com Alex Campbell (Alex Campbell And His Friends, 1967) e Johnny Silvo (Sandy And Johnny, 1967; na verdade um LP split, com seis faixas solo de Sandy), alem de um LP com os Strawbs All Our Own Work, gravado em 1967, mas só lançado em 1973).

What We Did On Our Holidays trouxe a primeira obra prima escrita por Richard, "Meet On The Ledge", uma canção que perduraria até hoje no repertório ao vivo do Fairport Convention e que foi usada até como título de um dos seus mais recentes álbuns. Além dessa música, Richard escreveu também "Tale In A Hard Time", que teve cover feito por Stephen Malkmus.

(capa do disco Unhalfbricking)

O terceiro álbum do Fairport, Unhalfbricking, saiu em julho de 1969 e foi um marco para o grupo. Com a entrada do violinista folk Dave Swarbrick, um músico experiente e vários anos mais velho do que o restante da banda, eles assumiram um papel de renovação da até então esquecida música tradicional inglesa.

Essa música vivia apenas nos guetos, isto é, nos clubes especializados, onde tudo era rigidamente vigiado, como os cantores obedecendo às regras para sua performance, sem uso de instrumentos adicionais alem do violão.

Com Unhalfbricking, o Fairport tomou a canção tradicional "A Sailor’s Life" e deu um tratamento elétrico e atmosférico, literalmente abrindo uma enorme porta de possibilidades para um novo som.

A mistura de folk, rock e psicodelia foi algo totalmente novo para o rock britânico. Esse novo som culminou com o quarto disco do grupo, o espetacular Liege & Lief, lançado em dezembro de 1969.

A trajetória do Fairport até então era incrível. Só no ano de 1969 eles já haviam lançado dois LPs, mostrando uma enorme evolução de álbum para álbum. Mas aí a tragédia se abateu sobre o grupo.

Na volta de um show a van do grupo teve um acidente gravíssimo, matando o baterista Martin Lamble e a namorada de Richard, a estilista Jeannie Franklyn, alem de deixar todos os membros da banda em péssimo estado psicológico e físico, com a exceção de Sandy que havia viajado separada do grupo.

O acidente, no entanto, foi rapidamente superado e o trabalho para o próximo disco foi retomado com a adição do novo baterista Dave Mattacks.

Liege & Lief é o auge desta primeira fase da banda, tendo como foco o desenvolvimento do folk rock britânico. Até então só existia o folk rock americano, representado pelos Byrds, Bob Dylan e Buffalo Springfield.

No Reino Unido isso só aconteceu com impacto com Liege And Lief, que era composto por cinco canções folk tradicionais com arranjos dramáticos e com uso de instrumentação de rock como "Matty Groves", "Tam Lim" e "Reynardine" como destaques.

Mas ao mesmo tempo em que o disco foi um sucesso crítico também foi a causa do fim da banda. Sandy Denny foi a primeira a sair. Ela achava que o álbum seria apenas um projeto, algo para apenas um disco, mas o grupo achava que deveriam continuar nessa direção.

A outra baixa foi justamente Ashley Hutchings, um dos maiores apaixonados pela idéia e que saiu porque queria continuar sua pesquisa e dedicação apenas à música tradicional de origem inglesa, deixando de lado o folclore de outras partes das ilhas como a Irlanda, Escócia ou País de Gales. Ashley saiu para formar um grupo mais adequado às suas idéias, o Steeleye Span.

Sandy Denny queria continuar a desenvolver o seu lado de compositora e para isso partiu para sua bem sucedida carreira solo. Mas antes disso ela formou o grupo Fotheringay junto com seu namorado, o australiano Trevor Lucas.

Assim o Fairport continuou, meio aos trancos e barrancos, com a entrada do novo baixista, Dave Pegg. Agora o grupo era um quinteto com Richard Thompson (guitarra, voz principal), Dave Mattacks (bateria), Dave Pegg (baixo), Simon Nicol (guitarra) e Dave Swarbrick (violino, mandolin e voz principal).

O resultado veio em pouco tempo: o quinto LP, Full House, lançado em julho de 1970.

Em Full House, agora o Fairport tinha dois vocalistas principais, Richard e Dave Swarbrick. Eles compuseram quase todo o álbum em dupla, incluindo clássicos como a épica "Sloth" e mais "Poor Will And The Jolly Hangman", "Walk Awhile" e "Doctor Of Physick", todas faixas excepcionais. O tom folk rock continuou com a inclusão de mais faixas tradicionais como "Dirty Linen".

Apesar das críticas elogiosas o próximo a sair do grupo era Richard Thompson. Por essa época, Richard já tinha se transformado em um dos mais requisitados músicos de estúdio, tendo participado de inúmeros discos de Sandy Denny, Nick Drake, John Klemmer, Matthews Southern Comfort, Gary Farr, Mick Softley, Shirley Collins, Mike Heron, John Martyn, Marc Ellington e outros. Ele queria fazer uma carreira solo, mas ainda lhe faltava a confiança para isso.

Seu primeiro disco solo saiu em abril de 1972: Henry The Human Fly. A recepção do público foi ínfima, os críticos também não entenderam. No entanto o álbum é um grande trabalho de Richard, uma tentativa bem pessoal de unir a sonoridade da música folk com o seu estilo rock.

O disco tem a presença de vários instrumentos não usuais como acordeão, violino, mandolin e dulcimer, alem de sua extraordinária guitarra, um dos instrumentistas mais notáveis do rock.

Pouco depois do lançamento de Henry The Human Fly, Richard conheceu a cantora Linda Peters. Ambos participaram de um LP chamado Rock On, do coletivo The Bunch. Esse disco foi um projeto feito por um enorme time de músicos famosos da cena folk rock incluindo Richard, Sandy Denny, Trevor Lucas, Dave Mattacks e outros para reinterpretar clássicos do rock os anos 50.

Em outubro de 1972 Linda e Richard se casaram e formaram um notável dupla nos anos 70: Richard & Linda Thompson, que lançou seis extraordinários álbuns no período 1974 a 1982, quando o casamento terminou.

DISCOGRAFIA DE RICHARD THOMPSON 1967-1972:

FAIRPORT CONVENTION – Fairport Convention (1968)
FAIRPORT CONVENTION – What We Did On Our Holidays (1969)
FAIRPORT CONVENTION – Unhalfbricking (1969)
FAIRPORT CONVENTION – Liege & Lief (1969)
FAIRPORT CONVENTION – Full House (1970)
RICHARD THOMPSON - Henry The Human Fly (1972)