Carência

19/10/2008



(ATTENTION WHORE)

Esta missão é ativada quando você perguntar sobre trabalho quando falar com Skelter, o anarquista próximo as escadas no segundo andar do bar Last Round.

Skelter é agressivo de início, mas quando você se demonstrar disposto a ajudar ele dirá que existe uma carniçal chamada Patty que está atraindo atenção desnecessária para si mesma depois que seu mestre, um toreador desapareceu. As atitudes de Patty acabarão atraindo caçadores de vampiros e ninguém quer isso. Skelter irá pedir-lhe para fazer Patty “desaparecer” e assim preservar a Máscara.

Patty pode ser encontrada no clube Confessionário, próxima das mesas logo depois da entrada.


Fale com ela e lhe diga que você encontrou Kent Alan Ryan, seu mestre. Se você tiver Persuasão suficiente, poderá convencê-la que Kent partiu para San Diego para resolver alguns negócios, e por isso teve que agir rápido. Isso será suficiente para você se livrar dela, sem necessidade de qualquer derramamento de sangue. Caso contrário, você poderá dizer que você viu Kent no beco e ela sairá para encontrá-lo. Vá ao beco e mate Patty de forma silenciosa, bebendo de seu sangue. Um último método de se livrar de Patty só poderá ser utilizado se você já tiver encontrado com Pisha durante a missão NECROMANTICO. Nessa alternativa, você dirá a Patty que Alan espera por ela no subterrâneo do hospital abandonado, pois está organizando uma festa surpresa. Assim, Patty se tornará a próxima vítima do apetite carnívoro de Pisha.

Matar Patty de um jeito ou de outro, causará perda de Humanidade, e caso seja apanhado matando Patty poderá também causar uma violação da Máscara ou uma violação criminal. Livrando-se dela de um jeito ou de outro você receberá 1 ponto de Experiência e uma redenção da Máscara.

Assim que informar à Skelter que conseguiu lidar com Patty receberá mais 1 ponto de Experiência.

 

 

Postado por Beatrix em 19/10/2008 | Arquivado em Downtown, Geral, walkthrough | 1 Comment »


One Response to “Carência”

  1. junho 4th, 2012 at 15:03

    ana said:

    menina insuportável KKK