Breve histórico do mito do vampiro com ênfase no sexo

30/01/2010

Encontrei o texto abaixo em um blog/podcast bem interessante o Le Petit Mort que fala basicamente de Horror, Sexo e RPG. De fato não é breve é na verdade brevíssimo, mas quem sabe me inspiro e aprofundo essa tese. Os exemplos são interessantes e contrariam a imagem de vampiro assexuado que muitos gostam de usar em Vampiro a Máscara, ou como disse o Malk na reunião de antediluvianos,  “se você acredita nesta história de que vampiros não tem interesse em sexo  é mais doido que eu”. Ainda bem que a Jeanette desmente essa tese, ela concorda com o vovô Malk.

E felizmente eu nem vi, nem li e nem vou ler Crepúsculo. Prefiro mesmo os “vampiros tarados” de True Blood.

——————————————————————–


(ou Uma tese que nunca escreverei, ou ainda Porque odiei “Crepúsculo”)


“Vampiros” estão envolvidos em comportamentos de certa forma sexuais há milênios. Criaturas que tiram sustento de algum tipo de força vital humana aparecem em várias culturas. Ataques sexuais por elfos demoníacos sugadores de sangue na Áustria; espíritos femininos babilônicos atrás de sêmen; demônios orientais que se alimentavam de sangue, sêmen e secreção vaginal; bruxas européias bebedoras de sangue e anteriores ao cristianismo; antigos “ghuls” árabes (nome que aparece em várias mitologias asiáticas e africanas) que na forma de mulheres atraentes enganavam beduínos e canibalizava-os… a coisa varia muito.

O vampiro que nós conhecemos, no entanto, provavelmente não é descendente direto destas fontes – ele começou a surgir na Europa Central por volta do século XVII, quando houve um recrudescimento da mitologia vampírica da região e termos como “vampir”, “vapir”, “uper” e “ubyr”, provavelmente significando “bruxa” ou “demônio” chegam ao inglês moderno. Surtos mortais de alguma doença foram atribuídos ao “vampirismo”, e médicos ingleses, alemães e franceses chamados apara avaliar a situação acabaram por levar o termo ao latim e às suas próprias línguas maternas, ajudados por um monge beneditino francês que publicou um livro sobre aparições, mortos-vivos em geral e vampiros.

Em 1748, Ossenfelder (alemão contemporâneo deste pessoal) publica o poema “Der Vampir”, considerado o primeiro texto literário sobre vampiros. Adivinharam o script? Um vampirão narra em 1ª pessoa os prazeres não-cristãos que proporcionará a uma jovem… Hummm… neste meio tempo, um cientista dá o nome de “vampiro” a morcegos sul-americanos hematófagos, entrelaçando de vez o vampiro ao morcego. Logo depois, outros alemães publicam poemas dedicados ao monstro (até Goethe, com uma versão feminina). Rola sempre uma ênfase no “furor sexual” destes seres, fazendo jus à mitologia da Europa central.

Em 1816, Coleridge leva o monstro para a poesia inglesa (todo gótico tr00 conhece “Christabel” e a vibe lésbica do poema, hehehe),  e em 1818 Polidori publica o famosíssimo “O Vampiro” (e todo Tzimisce já ouviu falar de um certo Ruthven, hahaha), no que teoricamente é a estréia do vampiro na prosa. A partir daí, ele se torna o queridinho dos romances góticos, criando grandes personas literárias como Drácula e Carmilla, aparecendo em textos de gente como Edgar Allan Poe e Baudelaire, e culminando em obras modernas como as de Anne Rice, que praticamente ressuscitou o mito (com trocadilho).

Desde sua gênese literária (e, por que não dizer, em grande parte de suas variações folclóricas), vampiros estão intimamente ligados à sexualidade. Para dizer o mínimo, representam uma metáfora sexual poderosíssima, mostrando a força de símbolos eternos da humanidade como o sangue, o sêmen, o sexo e a violência, junto à exploradíssima dicotomia amor-morte, que vem desde Eros e Thanatos e “contamina” de Sade a Freud.

Tirar o sexo e o pecado do vampiro pra mim é criminoso – por isso não gosto de “Crepúsculo”, onde meu grande perversor é transformado num “príncipe encantado bonzinho”, na figura patética do vampiro que só fará sexo depois de casar. Tsc, tsc, tsc.

>>> Texto originalmente publicado na comunidade do Orkut {NEW} Vampiro A Máscara

 

Postado por Beatrix | Arquivado em Curiosidades, Geral | 11 Comments »

 

Preso com Romero

04/11/2008

Esse bug acontece durante a missão relacionada ao carniçal Romero, que toma conta do cemitério de Hollywood. Se você escolheu em vez de matar os zumbis ou trazer uma garota para Romero, preferiu dormir com ele, pode acontecer de você ficar preso na casa e não conseguir sair devido a esse bug chato. Sempre que você tentar ir para a porta a câmera retorna para Romero e ele começa novamente a falar com você repetindo o diálogo anterior. Uma solução para isso é recarregar o save mais recente antes de entrar na casa e tentar novamente falar com ele, em alguns casos simplesmente recarregar o jogo já resolve. Se nada disso funcionar apele para o modo console (ver modo Console) e use o código “noclip” para simplesmente atravessar a parede e deixar a casa de Romero.

Romero

 

Postado por Beatrix | Arquivado em bugs, Geral | Comentários desativados em Preso com Romero

 

Cafetão para Romero

21/10/2008

(PIMPIN FOR ROMERO)

Se você recusar a missão VOCÊ SÓ MORRE UMA VEZ POR NOITE, poderá optar por essa outra missão caso não seja um nosferatu.

Conversando com Romero, pergunte de que outra forma você poderia ajudá-lo. Saberá que ele está em busca de um pouco de "amor ilícito", e dos "prazeres que só uma mulher pode proporcionar".  Romero precisa de companhia feminina. Então, se ofereça para conseguir companhia para Romero e vá até  cidade a cidade.

Em frente ao hotel Lucky Star encontrará uma prostituta que será mais receptiva. Mesmo assim ela achará estranho ter que ir até o cemitério para atender o seu amigo e a principio recursará. Converse com ela usando persuasão para convencê-la a ir ao encontro de Romero no cemitério (demência e dominação também podem ser utilizadas).  Também é possível usar intimidação ou mentir para ela. Nesse caso será bem mais difícil convencê-la. Assim que conseguir convencê-la, siga para o cemitério, tomando o cuidado de que a mulher siga você. Passe pelo buraco no muro do cemitério e siga até a casa de Romero. Quando chegar até Romero, fale com ele e ganhará 2 pontos de Experiência e U$100, ou alguma munição ou mesmo a possibilidade de melhorar sua perícia de tiro. Com um pouco de persuasão é possível conseguir extorquir mais U$75 de Romero em troca de um pouco de privacidade.

Caso seu personagem seja feminino e tenha um bom nível de sedução, você mesmo poderá dar a Romero o amor que ele procura. Ganhará 2 pontos de Experiência e dinheiro para transar com ele (U$100). Só não morda onde não deve (brincadeira). Essa é a forma mais fácil e rápida de cumprir essa missão  ainda que não seja tão lucrativa quanto as outras formas.

 

Postado por Beatrix | Arquivado em Geral, Hollywoody, walkthrough | 2 Comments »

 

Encontro com Jeanette

27/04/2008

Para conseguir essa missão você precisa ter ao menos nível 2 de sedução e ser sempre agradável com Jeanette. Durante a missão RIVALIDADE SIBILANTE você precisa escolher Jeanette em vez de Therese. Não é necessário dar o colar a Jeanette durante a missão LIBERTAÇÃO ESPIRITUAL, mas você terá que aceitar a missão EM PEDAÇOS para alegrá-la.

Se for bem sucedido em agradar Jeanette, depois da missão ENCONTRO NO ELIZABETH, você receberá um email dela dizendo que ela está sozinha e que gostaria de receber uma visita sua.

Quando você for ver Jeanette fale do email, então Jeanette se queixará de solidão e perguntará a você se sabe algum jogo para alegrá-la.

Mesmo sem você ter lido o email as opções de diálogo ficarão disponíveis, pois haverá a possibilidade de simplesmente perguntar se ela está se sentindo sozinha.

Ela se queixará do mesmo modo e perguntará se você conhece algum jogo para alegrá-la.

Se você disser a ela que sabe de algo que poderiam fazer, mas não têm certeza se é possível, Jeanette captará a sua mensagem e pedirá que você venha para a cama com ela.

A tela do jogo escurecerá e a única coisa que você poderá ouvir são os gemidos de Jeanette.

Alguns jogos vêm com essa missão desabilitada, mas é fácil resolver o problema, instalando um dos patches não-oficiais mais recentes (ver PATCHS). Às vezes também pode acontecer problema com o patch de tradução. Pelo menos comigo tive que desinstalá-lo temporariamente para a opção do diálogo com Jeanette ficar novamente disponível.

Depois que o sexo terminar você estará em pé no quarto com ela e as luzes se acenderão. Opções de diálogo não estarão disponíveis. Por isso não dá para repetir nem perguntar se ela gostou. Mas a expressão do rosto dela já diz tudo. A missão pode ser feita tanto por homens quanto mulheres.

Para ver a lista completa dos diálogos veja o texto nesse LINK

 

Esse famoso vídeo ao contrário de outros, não é fake. Realmente é algo que pode ser feito no jogo, sem mods e sem trapaças. No vídeo há uma seqüência dos diálogos com Jeanette até o encontro em que ela irá para a cama com o personagem do jogador.

 

Postado por Beatrix | Arquivado em Geral, Santa Monica, Vídeos, walkthrough | 4 Comments »