Flauta dizi chinesa

Minhas flautas dizi

Flauta Dizi – flauta transversal chinesa –  Flautas ST Luthieria – Fabricada no Brasil – D (Chave “Key” em G) e Flauta Dizi em D Bass (Chave “Key” em G)

A flauta dizi em D (Chave “Key” em G) foi a minha segunda flauta do tipo. Eu a encomendei com o luthier Lucas Domingos da ST Flautas, de quem já havia adquirido uma excelente NAF em D. Também é a única luthieria aqui no Brasil que vi fabricando estas flautas.

Para comprar a flauta importada é preciso procurar com muito cuidado para achar um instrumento de qualidade. Além do belo acabamento e de ser um instrumento visualmente chamativo pelo contraste entre o preto da madeira de bambu tingida e o vermelho da linha de decoração, a embocadura e o dedilhado ficam bem mais fáceis por conta da qualidade do instrumento. O tamanho também ajuda e esta afinação é uma das mais agudas entre os exemplares tradicionais. O som dela é bem superior ao do exemplar que havia adquirido de uma loja da China vi Aliexpress.

Com o dimo bem colocado, a sonoridade é excelente. Para quem já está habituado com a embocadura das flautas transversais ou dos pífanos, é bem fácil de pegar a embocadura da dizi e aprender a tocá-la. Além do sopro ter uma técnica característica o dimo produz um timbre específico e a colocação dessa pequena membrana de bambu é o ponto chave da dizi.

A membrana funciona como uma espécie de diafragma que vibra em contato com o vento soprado proporcionando o som diferenciado. Há vários vídeos na internet ensinando como colocar o dimo.  O ideal é que a membrana não fique esticada e sim ligeiramente ondulada com um leve franzido. Isso produz um som mais “analasado”.

O dimo é normalmente colado com uma cola que parece uma gelatina. Segundo as descrições que vi em locais de venda do material, ela seria feita com material raspado de couro de burro. Isso me deixou bem surpresa, mas em outras descrições ela é feita de um material de arroz. De todo modo, ela veio com uma flauta chinesa que comprei e ela dura bastante. Precisa apenas de um pouco para fixar o dimo.

Alguns usam cola de água, mas outras colas tendem a marcar a flauta e manchar a madeira, por isso prefiro a cola original. Também não aconselho usar outros materiais como fitas plásticas, pois podem arrancar ou estragar a pintura da flauta. Alguns obtém um efeito de som parecido com a fita veda rosca. Aconselho que se forem usar, não deixem a fita por muito tempo na madeira, quando não estiver sendo usada melhor deixar sem a fita e que não colem a veda rosca com durex encostando na madeira.

Uma dica interessante para quem usa o dimo é adquirir protetores para dimo de plástico. Eles costumam ser vendidos em sites de importados chineses e fazem o dimo durar mais. Devem ser colocados com cuidado para não arranhar a madeira.  Comprei alguns de vários tamanhos e tem me servido bem.

Uma curiosidade da dizi refere-se à afinação e como esse aspecto é indicado. A dizi que adquiri é denominada Key em G, mas isso não significa que ela tenha a nota mais grave em Sol (G) ou que seja essa sua afinação, pois a dita chave ou key é dada na terceira nota em relação à tônica. Já a afinação é definida pela nota mais grave que no caso dessa flauta é a nota Ré (D).  Por isso ela é Key G mas afinada em D.

Por conta desse detalhe da afinação, dá para tocar nesta flauta, com algumas pequenas mudanças de dedilhado, muitas das músicas das tabs para tin whitle em D. Depois adquiri uma flauta do mesmo fabricante com a afinação em D bass.

A flauta dizi G Bass é mais grave tradicionalmente encontrada e exige uma esforço maior tanto quanto ao sopro quanto ao dedilhado, pois uma vez que o tubo é bem mais longo e requer treino para alcançar os furos das notas mais graves. Ainda não me acostumei totalmente com ela e por enquanto vou praticando mais com a D alta.  Outras flautas orientais do fabricante são a shakuhashi japonesa e a flauta xiao chinesa. Adquiri ambas recentemente e em breve devo escrever algo sobre elas que também possuem uma sonoridade muito bonita e característica.

Flauta Dizi – flauta transversal chinesa – Moily – Fabricada na China – G (Key em C).

Esta flauta, foi a minha primeira dizi. Comprei na Aliexpress, e apesar de barata (paguei cinquenta reais com frete) e de ter um pouco de receio ao comprá-la, pois temia que viesse quebrada ou que o som fosse muito ruim, ela me surpreendeu.

Ela possui um bom som, é afinada e claro chegou inteirinha. Também arrisquei por ser barata, mas acredito que existam instrumentos melhores e também mais caros importados. Acabei no entanto, evitando importar e comprando outra flauta depois de um luthier local de confiança. Essas flautas chinesas têm algumas peculiaridades interessantes. Elas possuem embocadura comum a flautas transversais, mas é tranquilo conseguir tirar um bom som, com um pouco de treino.

Ela possui um orifício logo abaixo do bocal, em que se fixa uma delicada película, chamada dimo, que dá a ela um som bem característico. Confesso que no início para treino costumava por fita veda rosca, mas para tocar com a sonoridade característica, o dimo realmente faz diferença. Outro ponto curioso é a afinação, normalmente quando se indica que a flauta é em C, não quer dizer que o pé seja em C, mas sim que em escala descendente o C é a terceira nota que ela executa, ou seja, a terceira nota em relação à tônica. Assim, essa flauta é em C, mas o pé dela é na verdade em G e é nessa escala que ela é de fato afinada.

flauta dizi

Sistema Jaipu e Mo Dao Su Shi

Só fui conhecer Mo Dao Zu Shi depois que já havia comprado, então não foi uma influência, mas é claro que já procurei tocar “Wu Ji” nesta flauta, sem dúvida, além de várias outras músicas chinesas e japonesas. Sem dúvida é um instrumento bem presente em trilhas sonoras de novelas e séries chinesas ao lado de outros instrumentos regionais como a pipa e o guzheng.

Estudá-la me fez aprender um pouco sobre notação numérica ou Jianpu, pois há muitas músicas na internet com essa notação para essa flauta.

Esta notação também é bastante utilizada nas liras e kalimbas fabricadas na China e aparece com frequência em tutoriais e tablaturas para esses instrumentos. Inclusive, os livretos que vem com esses instrumentos trazem mais músicas nessa notação do que em notação ABC anglo-saxônica ou mesmo partituras tradicionais.

Acho as borlas decorativas das dizi um charme e tanto e por isso comprei mais mais borlas e dimos, para não ficar sem essa satisfação de tocar com a sonoridade que gosto e com esse charme na aparência das minhas dizis.

Poema das flautas

As dizis fabricadas na China costumam trazer em seu corpo gravado, além da marcação da Key, um poema escrito em chinês. Esse abaixo seria o poema completo (fonte). O poema descreve uma paisagem melancólica, em que o som de uma flauta solitária, que ninguém sabe de onde vem, aumenta as saudades que os soldados sentem de seus lares, em uma noite fria de inverno, enquanto fazem a vigília noturna nas muralhas do forte de Shouxinag.

夜上受降城闻笛 Ouvindo a flauta à noite, nos muros de Shouxinag.

朝代:唐代  – 748-827, Dinastia Tang

回乐峰前沙似雪,A areia abaixo do Pico Huile é branca como a neve.

受降城外月如霜, Fora dos muros de Shouxiang brilham os raios de luar congelados.

不知何处吹芦管,Alguém está tocando flauta – não sei ao certo onde.

夜征人尽望乡, Durante a noite, na vigília noturna, todos os soldados sentem mais intensamente saudades de casa.

Deixo esse vídeo de uma artista chinesa muito talentosa chamada Jae Meng, para que conheçam um pouco da sonoridade da dizi. Neste vídeo ela toca o tema do seriado Untamed (Netflix) baseado na novela Mo Dao Zu Shi, da escritora Mo Xiang Tong Xiu.

Referências:

Lee. H.H.How to Play Dizi, the Chinese Bamboo Flute: The Basic Skills. Em inglês.

________.How to Play Dizi, the Chinese Bamboo Flute: The Advanced Skills

________.How to Play Dizi, the Chinese Bamboo Flute: The Dongxiao

Links

Comprar:

Flautas ST Lutheria

Aprender:

Hattus Almeida

Paul Chin

DanTang&Chinese bamboo flute

MusicArte Ocarina

Author: Beatrix