Einstürzende Neubauten

Einstürzende Neubauten foi formado em abril de 1980 em Berlim, como parte do “Die Geniale Dilletanten” (anos depois Blixa Bargeld escreveria um livro junto a outros artistas com esse mesmo título em que explicitavam os ideais artísticos do grupo), um movimento “dadaísta” musical que tinha em comum a intenção de quebrar todas as convenções musicais e realizar uma verdadeira revolução conceitual na música.Além disso, o grupo ficou conhecido devido ao uso pouco ortodoxo de chapas de metal, britadeiras, metais de toda espécie como facas, serrotes, latas, ferramentas, eletrodomésticos, etc. como instrumentos musicais. Nas apresentações essa parafernália toda era destruída de maneira catártica pelos membros da banda, promovendo um efeito sonoro único, que aliado ao visual igualmente agressivo das performances conferia um resultado ainda mais provocador.Alguns críticos classificam o som da banda como industrial o que irrita principalmente Blixa para quem esse rótulo nada mais é do que um “reducionismo da mídia massificante” e que prefere que a sua música seja chamada apenas de “música contemporânea”.
“Destruction is not negative,
you must destroy to build”
Blixa Bargeld.

Musicalmente o E.N. tem procurado criar uma nova forma de “expressão musical urbana” com um som fisicamente intenso e orgiástico, ritmos tribais associados a um som ensurdecedor produzindo na platéia um estado quase hipnótico; combinado a sons processados digitalmente de ruídos e freqüências sonoras pré-gravadas. As letras são freqüentemente centradas em temas como o caos urbano (Kollaps), anticonsumismo, viagens lisérgicas (Zentrales Nervensystem),existencialismo,morte e estados psicológicos profundos e extremos como amor e depressão (Ein Stuhl in der Hoelle, traduzindo algo como, “uma cadeira no inferno”). Essa “nova forma musical” têm conquistado um público bastante eclético sendo a platéia do Einstürzende formada desde intelectuais , passando por punks, góticos, “alternativos” e fãs de metal.

A primeira formação tinha Blixa Bargeld* (Christian Emmerich, nascido em 12 de janeiro, 1959, Berlim), N.U. Unruh (Andrew Chudy, nascido em Nova York em 09 de junho, 1957), Gudrun Gut e Beate Bartel. As duas garotas tinham uma participação bem ativa na cena punk wave e eram fundadoras do grupo Mania D. que na época ensaiava no porão da casa de Blixa (futuramente elas formariam os grupos Malaria e Matador, que assim como o Mania D. eram bandas formadas apenas por mulheres). Gudrun and Beate deixaram o Einstürzende pouco tempo depois.

Einstürzende NeubautenEinstürzende Neubauten (traduzindo algo como “desmoronando” ou “prédios novos desabando”) foi um nome escolhido ao acaso por Blixa, que já havia sido lixeiro e coveiro e na época freqüentava o underground berlinense e que no dia 01 de abril (seria trote) recebera um convite de um amigo para formar uma banda e tocar no clube Moon. Conforme Blixa declarou esse teria sido o primeiro nome a vir a sua cabeça na ocasião.Após as primeiras apresentações ainda não tinham feito muito sucesso fora do circuito noturno alternativo, mas já se começava a falar deles. Foi quando em Berlim o novo prédio construído para ser o German Congress Center desabou depois de apenas alguns dias de sua cerimônia de inauguração e coincidentemente a apenas alguns dias do lançamento do primeiro single do E.N., logo sua fama acabaria ganhando uma nova dimensão, ainda que devido a um episódio um tanto trágico.

O intrigante símbolo usado pelo E.N. foi tirado das antigas inscrições encontradas no santuário de Stonehenge na Inglaterra (até hoje não se sabe ao certo se Stonehenge seria um santuário ou calendário, há até hoje apenas especulações sobre a real função desses círculos de pedra). Segundo consta acreditava-se que esses símbolos presentes nos santuários fossem capazes de aprisionar os espíritos dos mortos e que de semelhante modo poderiam possuir também as almas de homens e animais.

Em 1981 F.M. Einheit (Frank Martin Strauss, nascido em 18 de dezembro, 1958 em Dortmund),também conhecido como Mufti, foi persuadido por Blixa e N.U. a juntar-se ao Einstürzende Neubauten depois de um concerto do grupo Abwärts em uma taverna próxima ao antigo campo de concentração de Dachau. F.M. tinha formado o grupo punk-eletrônico-cult Abwärts (rudemente traduzido como “Para baixo”) em Hamburgo alguns anos antes, no qual ele tocava qualquer coisa que produzisse ruído (tapes, rádios etc). F.M. havia participado antes do Palais Schaumburg, um legendário grupo de vanguarda fundado por Holger Hiller, possuindo um gênio eletrônico-musical que muito contribuiria para alargar as possibilidades sonoras do Einsturzende Neubauten. Assim ainda como um trio gravam o compacto “Kalte Stern” pela ZickZack Records.

Show do Einstürzende  em BerlimCom esta formação eles gravaram seu primeiro LP “Kollaps”, cuja faixa título já indicava o que estava por vir “…falta pouco tempo para o colapso..” (em 1983 essa mesma faixa viraria hino do partido Verde alemão). Em sua promeira turnê alemã junto com os grupos Mekanik Destruktiw Kommandöh e Sprung Aus Den Wolken, Marc Chung (nascido em Leeds, 03 de junho 1957), o baixista do Abwärts, junta-se ao grupo.
Alexander von Borsig (Alexander Hacke, Berlin 11 de outubro, 1965) juntou-se ao grupo em 1982 completando a formação definitiva da banda. Ele tinha na época apenas 16 anos, mas havia sido técnico de som do Einstürzende por algum tempo, além de ser também um grande amigo. Borsig apesar da pouca idade já havia participado ativamente das bandas “Sprung aus den Wolken” e “Crime & the City Soluction”** de Nick Cave, não sendo portanto nenhum iniciante.
Einstürzende Neubauten ganha repercussão internacional e reconhecimento da crítica em 1983 com seu segundo álbum, “Zeichnungen des Patienten O.T.” seguido de “Against Architeture” ambos lançados no mesmo ano pelo selo “Some Bizarre”. Também criaram um certo rebuliço com uma seqüência de apresentações espetaculares (no sentido de espetáculo) numa linha segundo Blixa “terroristic and death-despising concerts”, que de fato gerava polêmica tanto pela” mise en scène” furiosa como pelo próprio som produzido meio eletrônico meio bruto, enfim, aquela barulheira infernal de praxe, que o grupo fazia ao vivo.

No próximo ano Blixa Bargeld se junta efetivamente ao grupo Nick Cave & The Bad Seeds** como membro em tempo integral, mas sem contudo abandonar o Einstürzende.

1/2 MenschCom o próximo álbum lançado em 1985, “1/2 Mensch” (algo como metade humano) eles conseguem grande sucesso (não tanto do ponto de vista comercial). Este é o primeiro álbum que traz uma estrutura musical mais clara e variada. Na faixa título, trabalharam em parceria com Nikkolai Weidemann para compor uma obra coral. Seus concertos também se tornaram menos conturbados. Esse é considerado o disco mais audível da banda, mas não se iluda…Estão lá ainda que de forma mais palatável o mesmo som que celebrizou a banda: objetos de metal espancados de forma insana por martelos, machados canos e chaves inglesas, distorção de guitarra levada até o limite da dor de ouvido e um maníaco se esgoelando. As letras do disco são marcadas pelas experiências da banda com o uso de drogas como o L.S.D. e anfetaminas (Blixa chegou a declarar na época que nenhuma das letras do disco foi escrita em estado de lucidez).Tal interesse foi ainda mais intensificado pelo contato com a literatura de Willian Burroughs que se deu durante as gravações do documentário “Decoder” em 1983. O tema morte se faz presente na maioria das canções do disco, a exemplo da faixa Z.N.S (Zentrales Nervensystem), onde Blixa descreve desesperado o efeito de uma “bad trip”: “Levante-se, Vertigens a minha frente, dedos gelados.O que fazer quando acordo trêmulo?e o quarto está girando? é a dança do S.N.C. (Sistema Nervoso Central)…a dança blecaute..tudo que não me mata me torna mais forte…diga adeus a seu sistema nervoso.”
Foi ainda durante a turnê mundial de divulgação de “Halber Mensch” que conhecem no Japão Sogo Ishi que dirigiria um documentário de mesmo nome, no estilo de um vídeo clip recheado de coreografias da companhia de dança Byakko Sha e Kazuo Ohno (criador da dança Butô).

Em 1987 Einsürzende Neubauten compõe a música para a peça de teatro “Andi” apresentada no Deutches Schauspielhaus em Hamburgo. Esta foi uma excelente oportunidade para a imprensa de escândalos alemã introduzir o Einstürzende Neubauten para o grande publico, como eles afirmaram ironicamente: “tampões para os ouvidos deverão ser distribuídos para o público do teatro”. De qualquer forma, depois da estréia, no final do espetáculo o Einstürzende era convidado a repetir a performance diversas vezes. Este foi um novo passo para o Einstürzende, dentro do universo da “cultura erudita”. Eles tiveram muitos convites para escrever músicas para um punhado de peças radiofônicas e peças de teatro, balés e companhias de dança (nem sempre sem alguma resistência ou confrontação, sendo o grupo muitas vezes considerado como sensacionalistas amadores pela maior parte do establishment cultural erudito). Mufti é, até hoje, o membro do Neubauten mais engajado no teatro.

Depois de um ano seu quinto álbum, “Fünf auf nach oben offenen Richterskala”, é lançado, mostrando um outro lado do grupo. Bem mais trabalhado e complexo que antes composto por canções atmosféricas, com transformações musicais mais intensas que antes. Alguns críticos disseram que Blixa havia trazido um pedaço do The Bad Seeds para dentro do Neubauten.

Porém, Blixa não é o único membro engajado em outro grupo fora do Einstürzende Neubauten. Na verdade, N.U. Unruh é único que não faz parte de um outro grupo paralelo…

F.M. Einheit tem tocado com um monte de outros grupos, sendo membro mais ou menos permanente de várias formações ao longo de anos, produzindo e gravando para muitos outros grupos como KMFDM, Die Krupps e PIG (ex KMFDM). Ele também recomeçou com o Abwärts em 1988, onde ele é membro em tempo integral.Começou também a fazer gravações individuais há algum tempo, desenvolvendo um projeto solo chamado Stein junto com Ulrike Haage e tem recentemente gravado com Caspar Brötzmann.

Alexander Hacke uniu-se ao Crime and the City Solution** quando Rowland S. Howard deixou o grupo em 1988. Alexander tem também atuado como produtor e músico em diferentes constelações.

Marc Chung criou a Freibank, a companhia editora do Einstürzende Neubauten quando composições e gravações da banda começaram a aparecer freqüentemente em gravações de outros artistas. Ele também é responsável pelos aspectos financeiros do grupo.

N.U. Unruh é também engajado em uma livre colaboração com o Survival Research Laboratory, um grupo performático americano que constrói as mais bizarras máquinas que se possa imaginar e que são destruídas a golpes e marteladas durante suas performances.

Em 1989 o sexto álbum Haus der Lüge marca um novo direcionamento, que já vinha sendo traçado com Fünf auf nach…,neste novo trabalho os novos caminhos que o E.N. pretendia seguir aparecem definidos com maior clareza. Os ritmos marcados, linhas musicais mais claras e letras com uma carga política mais forte, deram ao grupo um perfil mais definido tornando-o mais acessível ao grande público. A força deste novo trabalho proporcionou a realização de uma nova grande turnê mundial.

Blixa BargeldEm 1990 Einstürzende Neubauten assinou contrato com a gravadora Mute. O selo EGO foi criado em 1991. Este selo apenas lança os diversos projetos paralelos do Einstürzende e de seus membros. A primeira gravação através do selo foi a insólita “Die Hamletmaschine”, uma peça radiofônica feita para o GDR radio escrita por Hiner Muller baseada no Hamlet de Shakespeare, onde Blixa além de dirigir a peça interpretou Hamlet, ao lado de Gudrun Gut que fez o papel de Ofélia, e o Neubauten claro,fez a trilha sonora.
Essa evidentemente, não foi a primeira nem a última experiência de ator de Blixa que já havia participado dos filmes “Kalt wie Eis” de Carl Schenkel (1981), “Bad Blood For The Vampire”, de Lisanne Tibodo (1984), “Der Himmel über Berlin” (Asas do Desejo), de Wim Wenders (1988), entre outros atuando ainda em peças de teatro como “Rosa Melonen Schnitt Freude”, dirigida por Brigitta Linde (2000) e “Fleisch wucherte rum”, por Elettra de Salvo(2001) e até em óperas como a inusitada “Faust: Mein Brustkorb: Mein Helm” dirigida por Werner Schwab, encenada no Hans Otto Theater Potsdam, onde fez o papel de Mefisto (Mefistófeles para os menos íntimos), com música do Einstürzende Neubauten e regência de Thomas Thieme (1994). Aliás, tanto Blixa quanto os demais membros do E.N. têm uma participação intensa e variada em diversas produções culturais, passando pelo cinema, música, teatro, literatura, dança e artes plásticas.

Tabula RasaO álbum seguinte “Tabula Rasa” lançado em 1993, foi o primeiro álbum onde Einstürzende Neubauten gravou músicas em outra língua que não o alemão (a canção em inglês Blume e alguns versos da música Headcleaner). Este álbum é considerado tecnicamente o melhor produzido depois de “Haus der Lüge”. Eles também apresentaram paralelamente alguns de seus trabalhos feitos para a companhia de dança canadense “LaLaLa Human Steps”.
Ende Neu lançado em 1997, é um trabalho menos pretencioso, mas não por isso menos forte. Alguns vestígios dos primórdios do nihilístico Einstürzende são reavivados com vigor e beleza. Este desenvolvimento teve lugar, contudo, sem perder nem um pouco da força ou originalidade anteriores. Já “Stella Maris”, traz um dueto com Blixa e Meret Becker, sendo um dos mais belos e líricos momentos até então produzidos pelo grupo.
No final de 2001 foi lançada “Strategies Against Architeture II”, reunindo os singles publicados pelo grupo durante a década de 1990. Atualmente o Einsturzende Neubauten está organizando um projeto na internet à semelhança do que fez David Bowie. O portal Neubauten.org pretende divulgar o trabalho do grupo através da internet, distribuindo músicas na forma de MP3 em um serviço pago. De quebra pretendem fornecer acesso a internet e email exclusivo aos listados. Seria uma forma de trabalhar longe da chancela das grandes gravadoras de forma mais independente num esquema que já é utilizado por uma série de outras bandas.O grupo promete para 2003 o lançamento de um álbum que terá distribuição exclusiva na internet e servirá para comemorar o 23º aniversário do Neubauten.O aspecto mais inovador da iniciativa é que o disco deverá ser editado sem o apoio de uma gravadora, contando exclusivamente com a contribuição dos fãs. Entretanto a banda se encontra com uma série de problemas pelo fato da sua antiga gravadora a Some Bizarre os estar processando para empedir que disponibilizem os arquivos dos discos lançados pelo selo aos associados do site.

A banda alega nunca ter recebido nenhum honorário pelos quatro álbuns (Zeichnungen des Patienten o.t., Halber Mensch, 5 auf der nach oben offenen Richterskala e Haus der Lüge) publicados pelo selo Some Bizarre e que estão incluidos na seção de download do site e que desencadearam a pendenga. Isto atrasou significativamente seus projetos pois o lançamento do disco dependia exclusivamente do dinheiro dos fãs que se associassem ao site. Mesmo com esses percalços a banda conseguiu atingir a soma necessário e se encontra em estúdio finalizando o disco que deveria ser lançado em maio deste ano mas que, infelizmente, ainda não tem data oficial de lançamento, o que está deixando os fãs que se inscreveram no site e pagaram pela produção do disco um tanto insatisfeitos com a demora. O álbum, que ainda não tem título, será fornecido exclusivamente para os patrocinadores que se inscreverem na homepage do Neubauten. Custo de cada CD: 35 euros. Além da exclusividade na aquisição do trabalho os fãs ainda poderão participar de todo o processo de produção, pois através de várias câmeras instaladas no estúdio, eles podem acompanhar as sessões de gravação em tempo real. O Einstürzende Neubauten também propõe que os fãs comentem as gravações e façam sugestões de mudanças. O site oferece ainda material exclusivo da banda, versões inéditas de músicas e vídeos.

Apesar do processo os arquivos dos discos da banda continuam sendo acessados e baixados pelos associados. Torcemos para que mais essa iniciativa de disponibilizar música livremente pela internet não seja brecada pelos tribunais, a exemplo do que propõem o Metallica ou Madonna. A idéia não é um movimento anárquico ou fazer com que as gravadoras ou artistas percam dinheiro como apregoam alguns, mas simplesmente disseminar novos sons ou estilos para pessoas que não conhecem, aumentando o intercâmbio cultural entre àqueles que apenas apreciam a música sem a preocupação com embalagens ou rótulos.


* Blixa Color é um tipo de caneta hidrográfica muito barata encontrada na Alemanha em qualquer livraria. Bargeld em alemão quer dizer “em dinheiro”.

**Com uma divisão do Birthday Party em 1983, surgiram os dois grupos: Nick Cave and the Bad Seeds e Crime and the City Solution. Os dois grupos têm membros em comum (o próprio Nick Cave era um deles claro) e eram às vezes acusados de terem o mesmo som ou de fazerem plágio um do outro, e no caso do Nick Cave and the Bad Seeds também de outros grupos pois eles costumavam fazer recriações de canções escritas por outros autores, o que nem sempre era bem visto, apesar dessas recriações serem muitas vezes, melhores que as originais. Ambos eram também contratados da mesma gravadora a Mute Records.

por Beatrix Algrave